Televisão

Aos 68, Tonico Pereira fala sobre filhos, dívidas e loucuras: 'meu projeto de vida é a próxima respiração'

A FORÇA DO QUERER Zeca (Marcos Pigossi) com o pai Abel (Tonico Pereira)
Marcos Pigossi e Tonico Pereira, que vivem pai e filho em 'A Força do Querer' - Globo/Raquel Cunha


Na novela das 21h da Globo, “A Força do Querer”, Abel é um pai presente e protetor. Seu intérprete, o ator Tonico Pereira, 68, já foi - e às vezes ainda é - o avesso disso tudo.
 
Em conversa com o “F5”, o veterano conta que foi um péssimo pai para as filhas mais velhas, Thaia, 40, e Daniela, 43, frutos de seu relacionamento com a professora Eliane Pereira. Atualmente casado com a coreógrafa Marina Salomon, ele é pai também dos gêmeos Antônio Nicolau e Nina Sofia, de 12 anos. Na trama, seu Abel é pai de Zeca (Marco Pigossi).
 
“Tem uma diferença enorme entre o pai que fui com minhas filhas mais velhas e o pai que sou com os gêmeos”, afirma ele, que veio de Campos dos Goytacazes, no interior do Rio, para a capital na época em que Thaia e Daniela aspiravam mais cuidados. “Eu tinha que vencer de qualquer maneira, sem nenhuma ajuda de nada, a não ser da minha curiosidade diante do mundo”, conta. “Fui muito relapso.”

A FORÇA DO QUERER: Abel ( Tonico Pereira )
Tonico Pereira durante gravação da novela 'A Força do Querer' - Globo / Estevam Avellar

Agora, com uma condição financeira melhor e uma vida mais estável, Tonico consegue ser mais presente na vida dos gêmeos.
 
“Só não consigo estudar com eles. Me dá uma inveja danada, porque minha mulher faz isso.  Estuda mais do que eles, até! E eu não tenho capacidade pra fazer isso, porque eu não estudei. Li muito pouco, continuo lendo muito pouco”, confessa o ator.
 
SEM AMARRAS 
 
Tonico acredita que a relação de liberdade que tem com os filhos é herança do que viveu com seu pai, hoje com 93 anos.
 
Ele conta que chegou a escrever um conto sobre isso: “Eu o comparo a um pardal que roda em torno da minha cabeça, sem pousar, pra não interferir no meu pensamento. Meu pai é assim: sem nenhuma dose de preconceito e sem nenhuma interferência pessoal sobre o meu pensamento, sobre a minha educação”, diz.
 
E acrescenta: “Ele nem sabia o que eu estudava ou não. E eu hoje o admiro. Quero que os meus filhos me admirem um dia por eu ser como sou, e não porque fui pai. Quero que me admirem por ser um homem na vida, com essas minhas loucuras todas e tal”.
 
LOUCURAS QUE CUSTAM CARO 
 
Atualmente, Tonico Pereira está com o apartamento hipotecado para pagar as dívidas oriundas de uma vida, digamos, sem muito planejamento. Ele paga cerca de R$ 18 mil por mês.
 
“Eu tô devendo muito, mas tudo bem! Estou vivo, respirando. Uma das minhas camisetas diz isso: ‘meu projeto de vida é a próxima respiração’”, diverte-se.
 
O ator mantém três estandes em um galpão em Botafogo, zona sul do Rio, em que vende camisetas com frases autorais, canecas e outros objetos. “Esse negócio tem me dado prejuízos constantes, mas eu consegui não falir até hoje”, ri.
 
Tonico conta que sempre manteve algum negócio paralelo à carreira de ator, mas que esse “plano B” já o levou à falência umas oito vezes.
 
“De qualquer maneira, é um ponto que eu considero importante pra mim. Ator não tem profissão segura, então eu ficava tentando outras vias. Mas a verdade é que eu acabava falindo em todas as outras vias e a profissão de ator é que sustenta as minhas doideiras.”


Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem