Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Você viu?
Descrição de chapéu BBC News Brasil

Por que celebramos o Ano Novo no dia 1º de janeiro?

Termo Réveillon era originalmente usado para festas da nobreza da França do século 17
Termo Réveillon era originalmente usado para festas da nobreza da França do século 17 - Getty Images
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

BBC News Brasil

Pouco antes desta data, pessoas em todo mundo saúdam o Ano Novo com fogos de artifício, abraços e brindes. Mas você já se perguntou por que 1º de janeiro é o dia que marca o começo do ano?

Tudo se deve aos festivais pagãos romanos e ao calendário que o imperador Júlio César introduziu há dois mil anos. Mas também é preciso dar crédito a um papa chamado Gregório 13.

OS ROMANOS

Para os antigos romanos, janeiro era importante porque era o mês consagrado ao deus Janus (daí vem Ianuarius, que significa janeiro em latim). Na mitologia romana, Janus é o deus de duas faces, dos começos e dos fins, das transições.

"É associado a olhar para frente e para trás", explicou à BBC Diana Spencer, professora da Universidade de Birmingham, na Inglaterra. "Então, se há um momento no ano em que se deve decidir que 'aqui começamos de novo', é lógico que seja esse."

Também coincide com o tempo na Europa quando os dias começam a se alongar após o solstício de inverno no hemisfério Norte. "Para Roma, isso tinha uma ressonância poderosa, porque acontece depois daqueles terríveis dias curtos, quando o mundo está escuro, frio e nada cresce", diz a professora.

"É uma espécie de período de pausa e reflexão". Quando os romanos ganharam mais poder, começaram a espalhar seu calendário por todo seu vasto império.

Mas na Idade Média, após a queda de Roma, o cristianismo se estabeleceu com força, e o primeiro de janeiro foi considerado uma data muito pagã. Muitos países onde o cristianismo predominou queriam que o Ano Novo ocorresse no dia 25 de março, que marca a aparição do arcanjo Gabriel à Virgem Maria.

"Embora o Natal seja quando Cristo nasceu, a Anunciação é quando se revela a Maria que ela vai dar à luz uma nova encarnação de Deus", disse Spencer à BBC. "Esse é o momento em que a história de Cristo começa, por isso faria sentido que o novo ano inicie aí."

O PAPA

No século 16, o papa Gregório 13 introduziu o calendário gregoriano e o primeiro de janeiro foi reestabelecido como Ano Novo nos países católicos. No entanto, a Inglaterra, que havia se rebelado contra a autoridade do papa e professava a religião protestante, continuou a celebrar a passagem do ano no dia 25 de março até 1752.

Naquele ano, porém, um ato do Parlamento alinhou os britânicos com o resto da Europa. Hoje, a maioria dos países é governada pelo calendário gregoriano, e é por isso que os fogos de artifício tomam o céu no dia 1º de janeiro de cada ano.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem