Televisão

Tatá Werneck acredita que teve depressão pós-parto e se emociona ao falar da filha

Atriz foi uma das convidadas do programa Encontro com Fátima Bernardes

Tata Werneck com a filha Clara Maria. 'Minha filha é a quarta pessoa bonita que nasce na minha família. Isso para nós é motivo de muito orgulho.' - Instagram/tatawerneck
São Paulo

No programa Encontro com Fátima, na manhã desta sexta-feira (8), Tatá Werneck se emocionou e chorou ao falar sobre a filha, Clara Maria, seis meses, fruto do seu relacionamento com o ator Rafael Vitti. "Se antes eu tinha mil objetivos na vida, depois dela eu só peço: 'Deus, eu só quero ter a oportunidade de ver a minha filha crescer", afirmou.

Ela também disse acreditar que pode ter tido depressão pós-parto. "Eu passei por muitas questões. Eu acho que tive baby blues [alterações de humor após o nascimento do bebê], ou talvez depressão pós-parto, não sei porque tudo se confundiu com o que a gente está passando nesse momento. Não sei o que faz parte da maternidade ou do isolamento. São muitas dúvidas. Mas a Clara é um bebê muito tranquilo. Ela não me dá muito trabalho. Pelo contrário, eu fico extasiada vendo ela apenas existir", afirmou.

Com a quarentena, a atriz contou que passou a dar valor para as coisas mais simples da vida, que é ter saúde, afeto, paz e segurança.

Tatá afirmou que teve muito medo em não poder proteger a filha com o agravamento da crise do novo coronavírus no Brasil, e ressaltou a importância de todos fazerem a sua parte para que a doença possa ser controlada no país. "Se puder, fique em casa."

Ela relatou ainda que acha Clara Maria mais parecida fisicamente com Rafa. "Ela é a única pessoa bonita dessa família, ela destoa no Natal (...)", brincou.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem