Televisão

Jaspion e Jiraya voltam a ser exibidos na Band e elevam audiência do canal aos domingos

Com projeto em desenvolvimento, filme do herói japonês deve estrear em 2021

Jaspion - Reprodução
São Paulo

Sucesso nos anos 1980 e 1990, os seriados infantis japoneses Jaspion, Jiraya e Changeman estão de volta à TV aberta brasileira. E em dois finais de semana já conseguiram elevar em mais de 150% a audiência da Band aos domingos, a ponto de ganhar 30 minutos a mais de transmissão.

Os três seriados entraram na programação em 22 de março, na faixa das 10h30 às 12h, e logo em sua estreia já conseguiram elevar a audiência do horário, de 0,9 pontos de média na Grande SP—marcado na semana anterior— para 1,9 de média, com pico de 2,7 (cada ponto do Kantar Ibope equivale a 74,9 mil lares).

Os números empolgaram a emissora e garantiram maior tempo aos seriados japoneses na faixa dos desenhos do Domingo Animado. No dia 29 de março, eles foram ao ar das 10h30 às 12h30 e chegaram ao 2,4 pontos de média, com pico de 3 —índices que podem tido colaboração do isolamento causado pela Covid-19.

A receptividade dos fãs ao retorno de Jaspion também empolgou o cineasta Rodrigo Bernardo, que trabalha atualmente no roteiro do filme do super-herói japonês. "É uma responsabilidade muito grande esse projeto. Tudo que é relacionado ao Jaspion tem uma resposta muito rápida dos fãs, e muito boa."

"Pudemos ver esse potencial na Comic Con do ano passado. Foi surpreendente ver o auditório lotado, pessoas reagindo, torcendo. Agora são os números de audiência da semana passada, da semana retrasada que fazem a gente falar 'sim, a gente tem que fazer esse projeto, tem muito potencial."

O retorno de Jaspion acontece justamente no aniversário de 35 anos da série, transmitida originalmente entre 1985 e 1986, na TV japonesa Asahi. No Brasil, ela foi ao ar em 1988, na extinta TV Manchete, e retornou nos anos 1990 na Record, na Gazeta e na Rede Brasil, apesar de ter só 46 episódios.

Rodrigo conta que sempre foi muito fã da série, e visitou por três vezes o Circo do Jaspion, que ele mesmo diz que "era horroroso, mas eu adorava, chorava para meus pais me levarem". Por isso, logo se prontificou quando soube que ideia da Sato Company de fazer um filme herói japonês no Brasil.

Na série original, Jaspion é um garoto humano, criado por Edin, cientista e último sobrevivente dos grandes profetas galácticos, para combater o vilão Satam Goss, que, com seu visual muito parecido ao de Darth Vader, pretende criar o Império dos Monstros para conquistar todo o universo.

A ideia do filme, segundo Rodrigo, não é fazer um reboot da série original, mas mostrar o depois. Ele vai se desenrolar nas ruas de São Paulo, adaptando a história ao ano de 2021. Nesse momento, o projeto ainda está em fase de desenvolvimento e conversa com possíveis parceiros, o que não foi impactado pela quarentena causada pelo novo coronavírus. Se tudo seguir como previsto, as gravações começarão no início de 2021 e o lançamento acontecerá no segundo semestre.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem