Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Celebridades

Caso Alec Baldwin: Armeira diz que produtores desautorizaram medidas de segurança

'Todo o set de produção se tornou inseguro devido a vários fatores', disse Hannah Gutierrez

Alec Baldwin
Alec Baldwin - Shannon Stapleton -7.nov.2017/Reuters
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Lisa Richwine
Los Angeles
Reuters

A responsável por supervisionar as armas usadas na rodagem do faroeste "Rust" disse que produtores permitiram um set de filmagem "inseguro" e rejeitaram seus pedidos de treinamento e outras medidas. No último dia 21 de outubro, um tiro disparado acidentalmente pelo ator Alec Baldwin, 63, matou a diretora de fotografia Halyna Hutchins, 42.

Os advogados de Hannah Gutierrez, 24, emitiram o primeiro comunicado em seu nome na noite de quinta-feira (28), uma semana depois dos disparos de Baldwin que mataram Halyna Hutchins no set de "Rust" nos arredores de Santa Fé, no Novo México.

A segurança é a "prioridade número um" de Gutierrez, que foi contratada como armeira e mestre-assistente de objetos cênicos, de acordo com o comunicado dos advogados Jason Bowles e Robert Gorence.

Ocupar as duas funções "tornou extremamente difícil se concentrar em seu trabalho como armeira", disse o comunicado, acrescentando que Gutierrez batalhou para conseguir treinamento, dias de manutenção de armas e o devido tempo para preparar cenas com disparos.

Gutierrez "acabou sendo desautorizada pela produção e por seu departamento", disseram seus advogados.

"Todo o set de produção se tornou inseguro devido a vários fatores, inclusive a falta de reuniões de segurança", acrescentaram. "Isto não foi culpa de Hannah."

Autoridades de Santa Fé estão investigando o incidente e dizem não ter descartado acusações criminais. A questão central é como uma munição real foi parar no revólver Colt usado por Baldwin.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem