Celebridades

Jornalista e youtuber, Foquinha diz que tenta fugir do 'mais do mesmo' na web

Influenciadora tem 2 mi de inscritos em canal de entretenimento

Fernanda Catania (Foquinha) Instagram/Foquinha

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Jornalista e apresentadora, Fernanda Catania, 33, conhecida como Foquinha, é uma das youtubers mais importantes entre as que abordam o dia a dia do entretenimento. Seu canal no YouTube conta com quase 2 milhões de inscritos --pessoas interessadas em acompanhar "desde Big Brother a Kardashians, de música e artistas", como ela mesma afirma.

“Lancei meu canal em 2015, e era outra época. Esse conteúdo, que hoje é supercomum na internet, não era tão falado”, conta em entrevista por telefone ao F5. Ela diz que ao começar a produzir vídeos para o YouTube, pensava em algo mais voltado para a televisão, mas que “nem imaginava que poderia fazer um conteúdo próprio” e atingir a repercussão que tem hoje.

Entre seus projetos mais atuais, está o podcast “Donos da Razão”, produzido em conjunto com André Brandt, seu namorado. “É o espaço em que eu mais falo sobre mim e sobre todos os meus conteúdos”, conta. Além disso, ela faz o “Ra-Tu-Dum” no canal da Netflix Brasil, no YouTube, e está no Globoplay no “Sinta-se na Casa”, quadro produzido por Marcelo Adnet, 39.

Paulistana, Foquinha diz que gosta de pegar os temas do momento e "destrinchar" em seu canal, para que o público entenda tudo o que está acontecendo. "Nas redes sociais é dia a dia", afirma ela, sobre os conteúdos mais quentes. "Eu assisto, vejo coisas sobre BBB, por exemplo, o dia inteiro, então para mim já é super natural", completa citando um de seus principais assuntos.

"Gosto muito de reality shows, então eu falo sobre eles desde sempre”, afirma ela, que está apostando em vídeos de resumo ao abordar o Big Brother Brasil 21. Para a jornalista, uma forma de não deixar o conteúdo desatualizado, já que o programa tem alimentado quase em tempo real redes sociais e perfis de fofoca. "A galera está curtindo”, afirma.

Mas quem acha que cobrir entretenimento é só diversão está enganado. Foquinha afirma que está sempre atrás da notícia e que seu foco não são apenas fofocas. Para ela, a internet é uma aliada do jornalismo, mas também pode virar uma fonte de propagação de fake news. “Faço a minha parte, sempre sou responsável, dou a informação completa, vou atrás e não fico falando por falar”, garante.

“As pessoas não têm mais tempo, ou paciência. Elas querem ter a coisa ali na mão, na hora, então isso é muito perigoso”, comenta. Foquinha fala ainda que especialmente no mundo das celebridades, muitas vezes notícias são mal-entendidas e tomadas como “verdade absoluta”. “É bem perigoso [...]. Por isso tomo muito cuidado, quero dar a informação completa, explicar aquilo”, completa a jornalista.

NA FRENTE OU ATRÁS DAS CÂMERAS

Antes do canal, Foquinha revela que não gostava de aparecer em frente às câmeras. “Meu TCC na faculdade foi um documentário em que eu não apareço, fico atrás da câmera o tempo todo”, lembra. Ela preferia escrever e trabalhar nos bastidores, mas nunca teve dúvidas de que o entretenimento era o que queria fazer. “Quando comecei a trabalhar com entretenimento no jornalismo, eu me descobri”, diz.

Ela comenta que começou a trabalhar com vídeos por uma demanda da veículo em que trabalhava: “Precisávamos fazer entrevistas em inglês com os artistas e a repórter na época não falava inglês. Então eu comecei a fazer. Mais por necessidade, porque eu não gostava”, afirma ela, que prefere tocar suas entrevistas em ambientes mais intimistas e de forma descontraída.

“Me divirto sempre. Nunca gostei de entrevista 'mais do mesmo'”, diz Foquinha. “Então eu sempre penso ‘o que ninguém está perguntando para esse artista?’”. Além das entrevistas, ela conta que o quadro que mais gosta de fazer é o “Foquinha FBI”, onde ela busca detalhes do mundo pop que nem sempre são tão conhecidos. “É o que eu mais me identifico.”

Percursora de vários memes, Foquinha afirma que o segredo para ela é não se levar a sério. Com leveza e bom humor, a jornalista relembra de um vídeo que viralizou na live Foca em 2020, com a cantora Pabllo Vittar, 26: “Quando eu saí da live, vi o tamanho do negócio, e até hoje está repercutindo. Eu amei!”. “Eu acho engraçado quando eu viro meme”, brinca.

Como trabalha com a internet, Foquinha afirma que conseguiu se adaptar bem à pandemia e continuou a criar seu conteúdo, mas sente falta de ir para a rua, acompanhar eventos e ver pessoas. "Isso não tem mais e é o que eu sinto mais falta”. Para o futuro, a jornalista ainda não tem nada muito concreto, mas promete nova live. “Com certeza nesse ano terá uma grande live como eu fiz ano passado”, afirma.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem