Celebridades
Descrição de chapéu The New York Times

Estrelas da luta-livre, gêmeas Nikki e Brie Bella recordam ajuda do ator Freddie Prinze Jr.

Grávidas, irmãs continuam a fazer TV e devem entrar para Hall da Fama da WWE

As irmãs gêmeas, Nikki (à esq.) e Brie Bella em Phoenix

As irmãs gêmeas, Nikki (à esq.) e Brie Bella em Phoenix Cassidy Araiza-24.jun.2020/NYT

Gabrielle Bluestone

Quando Nikki e Brie Bella, irmãs gêmeas que também são estrelas de reality show e campeãs recentemente aposentadas da WWE (World Wrestling Entertainment), descobriram que estavam ambas grávidas, em novembro do ano passado, o que mais as empolgou foram os "pizookies".

Quando elas eram atletas profissionais, "pizookies" –cookies preparados em uma panela de ferro fundido, como uma pizza– eram proibidos. Por mais de uma década, as duas irmãs passavam mais de 300 dias por ano em viagens, executando acrobacias cinco noites por semana diante de audiências, em lutas que, embora ensaiadas, exigiam preparação física intensiva todos os dias e que elas seguissem uma dieta rigorosa. "Minha sensação era que fazia dez anos que não comia um ‘pizookie’, porque tinha de usar o uniforme de luta", diz Nikki. "Agora enfim estou liberada."

Nenhuma das duas imaginava que teria de passar sua gestação em isolamento, tentando filmar sua série, Total Bellas, exibida pelo canal E!, de suas casas em um condomínio fechado em Phoenix, em meio a uma pandemia. E muito menos sem "pizookies" de qualidade fornecidos pela Oregano’s, uma cadeia local de restaurantes.

"Mas não vou a um restaurante antes de ter o bebê. Não vou e pronto", diz Nikki. "Liguei para o restaurante para ver se eles entregavam, ou se eu podia mandar apanhar o prato. E eles fazem isso, é possível. Mas, honestamente, o gosto não é o mesmo. Você precisa ir ao restaurante e comer lá."

As gêmeas idênticas têm 36 anos; seus nomes completos são Stephanie Nicole Garcia-Colace e Brianna Monique Danielson, e elas vêm filmando sua sexta temporada em ritmo ligeiramente frenético, porque seus partos estão marcados para o final de julho ou começo de agosto.

Uma equipe de filmagem reduzida está vivendo nas proximidades, em acomodações do Airbnb. Os membros precisam usar máscaras no cenário o tempo todo, têm suas temperaturas verificadas diversas vezes por dia e respeitam o distanciamento social, por trás das câmeras.

Ainda que a rodagem geral tenha sido concluída no começo de julho, pelo menos dois membros da equipe ficarão no Arizona, longe de suas famílias, esperando que os bebês das Bella nasçam. (Câmeras operadas por terceiros são proibidas na sala de parto, e por isso as imagens dos nascimentos terão de ser registradas pelos parceiros das gêmeas.)

Convenientemente, elas vivem ao lado uma da outra. O noivo de Nikki é Artem Chigvintsev, dançarino profissional no programa "Dancing With the Stars", e Brie é casada com Daniel Bryan, campeão peso pesado na WWE.

Agora, quando Nikki sente desejos incontroláveis de "pizookies" (infelizmente feitos em casa), Brie fornece a Artem, o padeiro, o equipamento necessário. "Diga a Artem que eu tenho uma caçarola", disse Brie a Nikki, em uma entrevista via Zoom que as gêmeas deram de suas casas. "Se ele fizer ‘pizookies’"... Ela faz uma pausa. "Eu vou pirar."

Sobre os arranjos de moradia das irmãs, Nikki diz que "não existem fronteiras". (Ela concebeu seu filho na casa da irmã, acrescentou Nikki como exemplo.) Há "nenhuma divisão no terreno" entre as duas casas, diz Brie. "Para o café da manhã, literalmente apareço lá, de roupão e chinelos; vou à casa de Brie", diz Nikki. "Se ela está cozinhando, acho que minha expectativa é que sempre haja alguma coisa para mim." "Nossa sensação é de que temos uma espécie de fortaleza conjunta", afirma Brie. "Nunca nos sentimos sozinhas."

O EMPURRÃOZINHO DE PRINZE

As duas irmãs têm ascendência mexicana e italiana, nasceram com 16 minutos de diferença e foram criadas em uma fazenda no Arizona. As gêmeas dizem que seu pai era abusivo e enfrentou diversos vícios. Os pais delas se divorciaram quando elas estavam no começo do segundo grau, e as duas tiveram de cuidar de si mesmas, em casa e no mundo.

Nikki, a mais velha, se interessava por moda e glamour; Brie era mais boêmia. Mas ambas eram atléticas e queriam uma carreira no show business, e calcularam que seriam mais comercializáveis trabalhando juntas. Em 2005, se mudaram para Los Angeles para começar a procurar trabalhos na TV e como modelos. Brie trabalhava em tempo parcial como garçonete no Mondrian Hotel, em Sunset Boulevard.

As duas foram chamadas pela WWE em 2007 e fizeram sua estreia em "SmackDown" um ano depois, com um roteiro escrito pelo ator Freddie Prinze Jr., grande fã da WWE. A manobra que ele ajudou a criar, chamada "Twin Magic", era uma espécie de troca de gêmeas à moda da televisão do passado, com as duas trocando de lugar sob o ringue quando uma precisava de descanso.

No começo, a audiência nem reparava na troca. Nikki lutou por quase dois meses como Brie antes de ser apresentada oficialmente, e pelos próximos dez anos elas dominaram o ringue como dupla. Foram escaladas para o reality show Total Divas, do canal E!, em 2013. Total Bellas, uma série derivada, surgiu em 2016.

Os programas acompanharam de perto as vidas das gêmeas, o que incluiu o relacionamento de seis anos, noivado no ar e subsequente separação entre Nikki e o ator e ex-lutador John Cena, e os altos e baixos da vida de Brie com seu marido, Daniel Bryan.

Em 2019, as duas decidiram deixar as lutas, como Bryan, mencionando como motivo o nascimento da filha de Brie, Birdie, 3, e uma sucessão de lesões de Nikki, entre as quais uma fratura no pescoço, hérnias de disco e cistos cerebrais que ela suspeitava fossem causados pelo "Rack Attack", sua manobra mais caraterística de luta, na qual Nikki erguia oponentes acima dos ombros e se jogava de joelhos no ringue, derrubando a adversária no chão por trás dela. (As lutas ensaiadas são notavelmente perigosas para seus praticantes, que muitas vezes são trabalhadores autônomos mesmo que tenham contratos exclusivos com a WWE)

As gêmeas seriam admitidas ao Hall da Fama da WWE em abril, mas a cerimônia foi adiada por causa do novo coronavírus. O legado delas permanece, no entanto. As Bella ajudaram a introduzir uma era com mais foco na mulher, na WWE, com o Diva Championship, lançado em 2008 (e que mais tarde mudou de nome para WWE Womens’ Championship). Elas foram ganhando cada vez mais tempo no ar, ao longo de seu percurso.

As duas estiveram entre as primeiras mulheres a lutar no ringue principal, do "SmackDown", em lugar de agirem como valetes dos lutadores homens mais conhecidos. Em 2018, Nikki encerrou sua carreira orgulhosamente em uma luta muito alardeada com Ronda Rousey, no primeiro evento de pay-per-view da história da WWE.

ACOMPANHANDO AS KARDASHIANS

A filmagem de Total Bellas, produzido pela Bunim/Murray, a gigante dos reality shows, havia começado "aos pouquinhos", as duas irmãs dizem, quando o coronavírus começou a se espalhar, o que paralisou a produção por cinco semanas enquanto a estrutura da série era reorganizada.

No começo de maio, depois da ratificação de uma nova lista de protocolos de segurança, o programa se tornou um dos primeiros reality shows da Bunim/Murray Productions –entre os quais Project Runway, The Real World, Lindsay Lohan’s Beach Club e Keeping Up with the Kardashians– a ter sua produção retomada durante a pandemia, decisão tornada mais urgente pela proximidade das datas de parto das duas irmãs.

Na era anterior à Covid-19, disse Farnaz Farjam, a produtora executiva da série, haveria até 16 pessoas presentes nas filmagens, em cada dada locação. Total Bellas agora está sendo rodada com uma equipe máxima de seis pessoas.

Mas ainda assim a produção representa um contraste com relação a Keeping up with the Kardashians, da qual Farjam também é produtora executiva. Diante da escolha de paralisar a série ou realizar episódios filmados inteiramente pelos protagonistas, os membros da família Kardashian optaram por produzir material eles mesmos, usando iPhones recolhidos a cada semana por um produtor usando traje de proteção, e levados para a sede da produtora.

"Com os Kardashian, tivemos de recorrer a eles mesmos filmando, porque as restrições na cidade eram muito diferentes", disse Farjam. "No Arizona, tínhamos licença para filmar, mas para manter a segurança de todos nós, reduzimos à equipe à metade, basicamente."

Ter uma equipe reduzida é melhor que não ter equipe alguma, ela reconheceu. "Vocês vão ver o material que as Kardashians mesmo gravaram quando os programas saírem, e vão perceber a diferença. Continua a ser divertido e atraente, e estou empolgada com o resultado", disse Farjam. "Mas creio que existe uma arte por trás da maneira pela qual um produtor e operadores de câmera capturam uma narrativa que as pessoas nem sempre conseguem capturar ao filmar sem ajuda."

As gêmeas Bella, que não usam máscaras durante a filmagem, dizem se sentir protegidas mas um tanto desconcertadas. "É uma sensação diferente do que senti antes, esta temporada, porque não podemos ficar próximas", diz Brie.

Ainda que o marido de Brie continue a precisar viajar a trabalho ocasionalmente, as famílias vêm limitando sua exposição a qualquer pessoa de fora que não tenha passado por duas semanas de isolamento. Isso significa que as Bella estão cuidando de seu cabelo e maquiagem quase sem ajuda, nesta temporada.

Elas estão convencidas de que os espectadores serão capazes de perceber o momento em que seus veteranos maquiadores e cabeleireiros voltarem ao set, depois da quarentena. No final da temporada, "vocês verão as Bella bem maquiadas", diz Brie. "Mas ainda sem cabeleireiros", afirma Nikki. "É, sem cabelo arrumado", confirma Brie.

A demanda por serviços de cabeleireiros no Arizona, onde o número de contágios disparou quando o estado reabriu sua economia apressadamente, vem sendo tão grande que as gêmeas decidiram que vão ter de cuidar disso sozinhas.

"Todos os nossos amigos cabeleireiros estão lotados de trabalho, aqui. Estão tendo as semanas mais ocupadas de suas vidas", diz Nikki. "Todo mundo mais já voltou a trabalhar, e pedir que alguém passe por uma quarentena para fazer parte de nossa equipe faria com que a pessoa perdesse muito trabalho. Porque pensamos nisso. Que as pessoas que trabalhassem conosco precisariam passar por quarentena. Mas todo mundo recusou, porque precisava trabalhar."

As duas irmãs disseram que estão pensando de forma mais crítica sobre a proteção de trabalhadores e sobre o padrão moral que estão adotado em suas empresas, que incluem uma linha de roupas, uma linha de maquiagem, e uma marca de vinho.

"Todo mundo viu a mudança no mundo e, quer você deseje aceitá-la, quer não, é legal acompanhar a mudança e evoluir, porque sinto que se você não evoluir com o que está acontecendo agora e com o que o futuro pode trazer, vai ficar na poeira", diz Brie. "Acredito que teremos uma nova normalidade. É uma loucura, porque é algo que nossas gerações nunca viram, mas nossos avós viram. Sabiam o que era passar pela guerra, pela Grande Depressão. Tiveram de mudar. Tiveram de evoluir. E sinto que é o que teremos de fazer."

The New York Times

Tradução de Paulo Migliacci.  

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem