Celebridades

Julia Roberts e outras estrelas cedem suas redes sociais para especialistas de saúde

Iniciativa faz parte da campanha #PassTheMic, que começa nesta quinta

Julia Roberts durante evento em Santa Mônica - Danny Molosho - 13.jan.19/ Reuters
Alicia Powell
Nova York

Os atores Julia Roberts, 52, Hugh Jackman, 51, e Millie Bobby Brown, 16, estão entre as celebridades que emprestarão suas contas de redes sociais para especialistas de saúde compartilharem fatos e advogarem uma abordagem científica ao combate à pandemia de Covid-19.

Roberts, que recebeu um Oscar em 2001 por “Erin Brockovich - Uma Mulher de Talento”, dá o pontapé inicial no projeto nesta quinta-feira (21) entrevistando o doutor Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos.

A iniciativa #PassTheMic é organizada pela entidade global sem fins lucrativos ONE Campaign, que almeja destacar “especialistas de economia e saúde... debatendo a reação global à pandemia de Covid-19”. A ênfase está nos dados, na ciência e nos fatos.

De acordo com a ONE, as estrelas cederão suas contas de redes sociais por um dia para profissionais da linha de frente e para especialistas de economia e saúde, entre outros.

Na entrevista a Roberts, Fauci diz que o principal problema a ser resolvido são “as disparidades de saúde extraordinárias” entre os países.

“Neste momento, se você pegar o sul da África, a África subsaariana, partes da Ásia, da América do Sul e até partes do Caribe como áreas que não têm um sistema de saúde capaz de reagir da maneira que se pode reagir em Nova York, Los Angeles, Nova Orleans ou Chicago, realmente temos uma responsabilidade moral com pessoas de todo o mundo”, disse Fauci.

Muitas das celebridades participantes têm grande presença nas redes sociais. Roberts, Jackman e Brown têm um total combinado de cerca de 71 milhões de seguidores só no Instagram.

Entre as outras estrelas envolvidas na campanha estão Penélope Cruz, David Oyelowo, Sarah Jessica Parker, Rainn Wilson e Shailene Woodley.

Reuters
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem