Celebridades
Descrição de chapéu Dias Melhores

Henrique Fogaça, Xuxa e Monica Iozzi tomam a frente de projetos para ajudar os mais vulneráveis

Em meio à pandemia, celebridades doam marmitas e produtos de higiene

O chef Henrique Fogaça faz marmita para distribuir a moradores de rua de São Paulo durante pandemia

O chef Henrique Fogaça faz marmita para distribuir a moradores de rua de São Paulo durante pandemia Ronny Santos/ Folhapress

São Paulo

A pandemia do novo coronavírus impôs uma realidade diferente para todos e escancarou ainda mais a desigualdade no Brasil. Buscando minimizar os impactos da crise, celebridades têm tomado a frente de diversos projetos, formando verdadeira corrente de solidariedade.

O chef Henrique Fogaça, por exemplo, decidiu colocar a mão na massa —literalmente— e criou em abril a iniciativa Marmita do Bem. Idealizado com Alberto Hiar e Anuar Tacach, seus sócios no restaurante Jamile, o projeto distribui diariamente de 200 a 400 marmitas para pessoas em situação de rua na região central de São Paulo.

“A pandemia chegou de maneira avassaladora. Estou envolvido em várias frentes, e acho que esse trabalho precisa seguir. Mesmo depois do coronavírus, vamos continuar com Marmita do Bem. Não com a mesma frequência de agora, mas indo pelo menos duas, três vezes por semana. É muito importante, e a gente precisa fazer. Não dá para esperar nada dos políticos”, afirma Fogaça, conhecido pelo programa MasterChef (Band).


Até o momento, cerca de 15 mil refeições já foram entregues. A distribuição das marmitas é feita por volta das 11h, geralmente próximo ao Theatro Municipal de São Paulo, mas a região da Cracolândia também costuma ser atendida. O Marmita do Bem recebe doações de alimentos e possui uma página na plataforma Kickante, por onde recebe contribuições em dinheiro.

Voluntários trabalham a todo vapor para fazer as marmitas, recheadas de sabores diversos. “O cardápio varia com o que a gente recebe. Temos à bolonhesa, com molho de tomate e almôndegas, massas e mussarela de búfala, que a gente serve com arroz, feijão, carne e legumes", diz o chef.

Conciliando o projeto com o serviço de delivery de seus restaurantes (Sal Gastronomia, Cão Véio e Jamile), Fogaça ainda reservou tempo para gravar uma nova música com a banda Oitão, da qual é vocalista —chamada “Proteste”, será lançada na próxima sexta (5), mas ele antecipa o refrão: “Proteste por um mundo melhor/Estenda sua mão/Juntos podemos mudar/Juntos podemos lutar”.

​Outra celebridade que decidiu usar a visibilidade em nome de uma causa foi a atriz Monica Iozzi. Ela conta que Aline, sua irmã mais velha, tinha vontade de ajudar alguma instituição, mas não sabia por onde começar. A artista, então, criou uma vaquinha online para arrecadar dinheiro para o Sefras (Serviço Franciscano de Solidariedade), que entrega refeições prontas e cestas básicas para pessoas que vivem na rua, comunidades imigrantes e famílias com baixo poder aquisitivo.

"O que inspirou a gente foi perceber que o governo demoraria para tomar atitude. Rapidamente essas pessoas não teriam como se sustentar e precisariam com urgência de alimentação e itens de higiene”, diz Iozzi. A meta inicial de R$ 22 mil foi ultrapassada, e a atriz conseguiu R$ 26 mil com a vaquinha.

O Sefras, que antes da pandemia distribuía 2.000 marmitas por dia, hoje entrega de 4.500 e 5.000 refeições no centro de São Paulo. Diretor-presidente da instituição, frei José Francisco destaca a importância dessas iniciativas. “Artistas como a Monica têm a capacidade de influenciar milhares de pessoas.”

A artista, agora, pensa em nova arrecadação. “Às vezes a pessoa quer fazer algo e não sabe como. Quando ela tem exemplos de como pode ser feito, isso abre um pouco o caminho e deixa tudo mais fácil. A ideia é fazer mais uma daqui a pouco. Estamos vendo outra instituição para ajudar agora e aumentar a rede de apoio”.

'VAMOS PENSAR NO OUTRO', DIZ XUXA

Em uma crise sanitária como a do novo coronavírus, itens de higiene pessoal também são artigos de primeira necessidade. Pensando nisso, a apresentadora Xuxa Meneghel se uniu à Baruel, fabricante de cosméticos e produtos de higiene, para doar 300 mil sabonetes da linha Turma da Xuxinha para as comunidades de Heliópolis e Paraisópolis, em São Paulo, e Vidigal, Rocinha e Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro.

"Essas ações são de uma grandeza enorme, principalmente em um momento em que muitos estão pensando apenas em si mesmos: no seu álcool em gel, na sua quarentena, na sua família, na sua saúde", disse Xuxa após a entrega, no final de março. "A gente precisa pensar no outro", acrescentou a apresentadora.

Além disso, por meio da Espaçolaser, rede de franquias de depilação da qual Xuxa é sócia, a Rainha dos Baixinhos doou R$ 1 milhão para o atendimento de pacientes diagnosticados com Covid-19 no SUS (Sistema Único de Saúde).

PROJETO NO SUL

Se dentro de campo Tinga já esbanjava classe, fora das quatro linhas o ex-jogador segue pensando grande. Com uma vitoriosa carreira e passagens marcantes por gigantes do futebol nacional, como Grêmio, Internacional e Cruzeiro, o gaúcho se dedica desde o fim do ano passado ao Fome de Aprender.

Com um ônibus adaptado com cozinha e biblioteca, o projeto atende localidades vulneráveis em Porto Alegre. Idealizado antes da pandemia do novo coronavírus, a ideia do ex-volante era servir cerca de cem refeições diárias e se limitar ao bairro da Restinga, onde ele nasceu.

Com o agravamento da crise, porém, o projeto cresceu. "Resolvemos ampliar para outras regiões do município. Hoje servimos em média 250 marmitas por dia, mais do que o dobro da ideia original”, diz.

SOLIDARIEDADE NA MÚSICA

No setor das artes, muito prejudicado pela crise do novo coronavírus, uma iniciativa do cantor Jorge Vercillo busca ajudar profissionais que atuam nos bastidores de shows e eventos por meio da doação de cestas básicas.

“Nós, profissionais da música e da cultura no geral, fomos o primeiro setor a parar e infelizmente seremos o último a voltar. Junto ao meu técnico de som, Anderson Pereira, decidi fazer um movimento para ajudar alguns colegas de trabalho que já estão passando por dificuldades. São milhares de técnicos de som, auxiliares, músicos, que não ganham quando não trabalham. A gente vem tentando ajudar e vamos fazer novas ações”, conta.

O cantor ainda falou sobre o atual momento e disse que espera uma verdadeira mudança após este período conturbado. “Essa pandemia chegou para dar um basta nessa maneira de viver gananciosa, inescrupulosa com o planeta. Nós estamos presenciando a sociedade toda sendo mais generosa. Espero que as pessoas embarquem em projetos como esses e levem o máximo possível de ajuda a quem precisa”, conclui Vercillo.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem