Celebridades

Saiba quem é Bruno Barros, novo apresentador gato do Sem Censura

Ele divide a apresentação da atração com Vera Barroso

Bruno Barros, novo apresentador do Sem Censura da TV Cultura
Bruno Barros, novo apresentador do Sem Censura da TV Cultura - Reprodução/Instagram/brunobarrostv
Carolina Farias
Rio de Janeiro

Desde a estreia da nova temporada do Sem Censura, programa ao vivo diário de entrevistas da TV Brasil, neste mês de abril, Bruno Barros passou a dividir a apresentação da atração com Vera Barroso. O carioca de 27 anos chama atenção do público pelo estilo low profile e também pela beleza.

A carreira de Bruno na TV começou em 2012, quando ele começou a trabalhar na produção do programa, ainda apresentado por Leda Nagle, que deixou o canal em 2016. Apesar da função que desempenhou nos bastidores e agora à frente das câmeras, Bruno é ator, formado em artes cênicas, e foi para a TV "por acaso", quando fez quatro períodos da faculdade de jornalismo, em paralelo à outra faculdade."

"Fui produtor da Leda por dois anos, depois fiquei trabalhando com Aderbal Freire Filho no [programa] 'Arte do Artista'. Quando ela saiu, reformularam o programa e, como sabiam que eu era ator, me convidaram para mediar mídias sociais ao vivo. Depois fui fazendo entrevistas, links de externas, matérias gravadas e na nova fase, em 2019, assumi o posto de apresentador."

Além de dividir a apresentação do programa e fazer a interação dos telespectadores pelas redes sociais, Bruno ainda trabalha nos bastidores. "Tenho visão zero glamour do meu trabalho. Sou um operário. Tenho outras funções também. Produzo o programa, marco pautas, sugiro, faço as redes, participo de várias partes."

Como ainda interage pelas redes sociais durante o programa, Bruno chega a passar por algumas saias justas, como na ocasião em que "ressuscitou" o pai de uma entrevistada. "Falei que o pai dela estava mandando uma mensagem e ela: 'Meu pai morreu'. Quando vi eram duas convidadas com mesmo nome e era o pai da outra. Fiz confusão. Dia desses tinha que passar o número do WhatsApp do programa e quase dei meu número. É a característica do programa é ser solto e leve. O público gosta quando mostramos o erro."

Mas, a interação ainda rende outras situações ao apresentador, como um convite inesperado de uma fã. "Já recebi convite para jantar. Tem uma telespectadora aqui da Lapa [bairro central do Rio onde fica a TV] que sempre interage. 'Bruno, tudo bem? Posso passar aí para te buscar para jantar?'. Dou uma desconversada. As pessoas às vezes confundem".

Bruno afirma que não se incomoda com elogios à sua aparência, mas se importa quando duvidam de seu trabalho por causa da beleza. "É ruim se isso [elogio] se sobrepor à minha capacidade de trabalho. Às vezes as pessoas que não conhecem o bastidor olham e pensam 'está aí só porque é um rostinho bonito'. Veem a ponta do iceberg e já julgam. Já ouvi 'você está lá porque é o galã da TV Brasil'."

Para Bruno, mais do que uma boa aparência, para conquistar o sucesso na TV é preciso empatia com o público. "Eles têm que querer que esteja ali, tem que se se relacionar com eles. Adoro o Tiago Leifert, para mim é o cara de TV mais incrível e não é bonito. Mas tem uma empatia gigantesca e talento. Você acredita no que ele fala."

SUFOCO

A estreia de Bruno nas ruas, fazendo reportagens, foi bem marcante. Ele foi enviado para fazer entrevistas ao vivo na frente do Museu Nacional no dia seguinte ao incêndio que destruiu o prédio e quase todo seu acervo, em setembro do ano passado.

"Tínhamos um programa todo pronto para fazer e aconteceu a tragédia. Falamos que tinha que ter programa especial e comecei a estudar o tema. Aí me falaram que eu ia ter que fazer um link ao vivo do museu. Eu nunca falo não e fui. A ficha só caiu lá. Cinco minutos antes de entrar no ar pensei: 'Nunca fiz isso e vou entrar ao vivo pela primeira vez em uma das maiores tragédias. Como vou passar essa notícia, com que emoção?'", contou Bruno.

Em janeiro, o apresentador e agora também repórter voltou a ficar nervoso. Ele, que é ator, tremeu diante de Fernanda Montenegro, a quem entrevistou em uma premiação no Rio.

"Fiquei bastante nervoso antes, mas depois me tranquilizei porque ela olha nos olhos. Me arrependo porque na entrevista ela parecia querer falar mais coisas, deu várias entradas, falou que havia se arrumado e eu, pelo nervosismo, passei isso. Vi depois. Comi mosca e aprendi que a gente tem que ouvir bastante o entrevistado."

Apesar da boa fase na TV, Bruno quer também voltar a trabalhar como ator ainda este ano. "Tenho trabalhado para isso, ficar no Sem Censura, aprender mais para um dia dizer 'sou um apresentador de TV.' Hoje ainda sou um ator que está experimentando o papel de apresentação e estou gostando muito, acho que tenho futuro nisso se me dedicar."

UOL
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem