Bichos

Morre Ramba, elefanta vítima de maus-tratos que foi resgatada por santuário brasileiro

Animal asiático já chegou ao país com o diagnóstico de doença renal

ramba
Morre Ramba, elefanta vítima de maus-tratos que foi resgatada por brasileiros - Instagram/elefantesbrasil
São Paulo

A elefanta Ramba ficou conhecida no Brasil quando foi resgatada pelo Santuário de Elefantes Brasil (SEB), na Chapada dos Guimarães (MT), em outubro deste ano. Ela havia sofrido inúmeros maus-tratos chegar no país. O animal, no entanto, não resistiu e morreu na manhã de quinta-feira (26).

"Ainda que após a necropsia tenhamos mais detalhes, sua morte, apesar de dolorosa, não nos surpreendeu tanto", informa nota divulgada pelo SEB. 

Ramba, que pesava 3,6 toneladas, chegou ao Brasil em um avião cargueiro. Ela tinha inúmeras cicatrizes no corpo, devido ao uso de correntes por anos, e problemas renais crônicos, em razão da falta de água potável enquanto atuou em circos na Argentina e no Chile.

A elefanta asiática tinha a idade estimada de 53 anos e já chegou ao Brasil com o diagnóstico de doença renal. "Quando Ramba foi diagnosticada, ainda no Chile, há sete anos, tínhamos muita esperança que ela conseguisse viver por mais um ano, no mínimo. Milagrosamente esse ano transformou-se em sete, dando-lhe forças que a ajudaram a chegar ao Santuário."

As cuidadoras da elefanta a encontraram deitada, de olhos cerrados e ela parecia estar dormindo. Ao perceberem que ela estava morrendo, levaram à irmã dela ao seu encontro.

"Quando [ela] se aproximou de Ramba, arregalou seus olhos, a cheirou profundamente, repetidas vezes e depois murmurou baixinho, também, repetidamente. Cheirou e tocou todo o corpo de Ramba parecendo tentar entender o que tinha acontecido."

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem