Você viu?

Anel de diamantes que vale R$ 4,8 milhões é chave para investigar mulher que gastou fortuna em loja

anel de diamantes
Um diamante de 8,9 quilates adorna o anel - NCA/Divulgação/BBC

Descrição de chapéu BBC News Brasil

Um anel de diamantes avaliado em mais de 1 milhão de libras (cerca de R$ 4,7 milhões) foi apreendido pela Agência Criminal Nacional britânica no rastro da investigação sobre uma mulher que gastou o equivalente a R$ 76,2 milhões na loja de luxo Harrods.

O anel foi encontrado em uma joalheria de luxo por policiais que investigam a origem da imensa riqueza de Zamira Hajiyeva.

Zamira é a primeira pessoa no Reino Unido a ser submetida a uma investigação de riqueza inexplicada (Unexplained Wealth Order, em inglês). Trata-se de uma medida judicial cujo objetivo é rastrear dinheiro obtido eventualmente por meio de corrupção e guardado no Reino Unido por servidores e mandatários de governos estrangeiros - ou seus familiares.

Hajiyeva, que nega qualquer irregularidade, é casada com Jahangir Hejiyev, um banqueiro do Azerbaijão. Ele foi condenado e preso por capitanear uma fraude massiva contra um banco estatal em seu país.

Caso Hajiyeva não consiga apontar uma origem legítima para sua imensa fortuna no Reino Unido, a Agência deve confiscar a casa dela em Knightsbridge - um distrito de Londres, onde também fica a loja da Harrods – e seu campo de golfe em Berkshire.

mulher se esconde com gorro
Zamira Hajiyeva: fortuna sob investigação - BBC

ANEL PRECISAVA DE REPAROS

À Justiça, os investigadores disseram em audiência que o anel de diamantes foi apreendido na última sexta-feira, depois de ser localizado numa loja da joalheria Cartier. Os investigadores pediram para que o bem fique retido pelos próximos seis meses, aguardando o desfecho das apurações.

O anel é descrito como contendo um diamante de 8,9 quilates. Foi comprado pelo marido de Hajiyeva por 1,19 milhão de libras (ou R$ 5,6 milhões). Em julho passado, a filha do casal, Leyla Mahmudova, levou a peça para receber reparos na joalheria Cartier.

Hajiyeva – que agora luta na Justiça não só para manter sua casa, mas também para evitar ser extraditada para o Azerbaijão – não enviou advogados para a audiência a respeito do anel. O bem acabou retido.

"Há evidências claras ligando o sr. Hejiyev ao anel, e ele foi condenado por fraude massiva. Para mim, é o suficiente para acreditar que este bem possa, depois de terminado o processo, ser revertido em indenização ou reparação", disse o juiz do caso, Michael Snow.

A decisão judicial significa que o anel ficará retido pela Agência Anticrime até que fique clara qual é a origem do dinheiro e dos bens de Hajiyeva.

Em novembro passado, a Agência já tinha apreendido o equivalente a R$ 1,9 milhão em joias, que tinham sido levadas a leilão pela filha de Hajiyeva. Estes itens, 49 peças, ficarão em poder dos investigadores pelo menos até maio.

BBC News Brasil
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem