Você viu?

Dubai é logo ali: Audi, Mercedes e até Ferrari viram viaturas na Argentina

Desde 2017 a frota dos hermanos já conta com essas marcas

Ferrari pertencia a empresário acusado de lavagem de dinheiro
Ferrari pertencia a empresário acusado de lavagem de dinheiro - Reprodução/UOL

São Paulo

A Polícia de Dubai ganhou fama mundial após usar superesportivos para serviços de patrulhamento, como Lamborghini Huracán, McLaren P1 e até um Bugatti Veyron. E não é que os argentinos gostaram da ideia?

Desde 2017 a frota dos hermanos já conta com nomes como Audi TT, Mercedes-AMG C 63 e, pasmem, uma Ferrari 458 Italia —como informou o Argentina Autoblog. Antes que você acuse as autoridades argentinas de gastar rios de dinheiro com carrões que prestarão serviços policiais, saiba que os veículos foram apreendidos com criminosos do narcotráfico (como atestam os adesivos colados na carroceria da maioria dos carros) e destinados a esta tarefa pela justiça do país.

O primeiro modelo foi um Audi Q5 “adotado'' pela polícia de Mendoza. Depois vieram dois Audi TT da Polícia Federal das províncias de Misiones e Entre Ríos — uma das unidades foi fotografada pelo Emergencias Argentinas, conta do Instagram que cobre as atividades policiais argentinas.

A Mercedes-Benz também está representada com um C 200 Kompressor e mais recentemente um C 63 AMG Coupé. A polícia de Buenos Aires não quis ficar para trás, mas foi mais humilde e agora dirige um Peugeot RCZ adquiridos por bandidos.

Audi TT foi uma das primeiros carrões “convertidos'' em viaturas
Audi TT foi uma das primeiros carrões “convertidos'' em viaturas - Reprodução/UOL

Mas a grande jóia das forças policiais é uma Ferrari 458 Italia. O superesportivo estava registrado em nome de Horacio Homs, empresário especializado em organização de casamentos e amigo de Juan Pablo Medina, ex-representante do Sindicato dos Metalúrgicos da Argentina.

Famoso colecionador de superesportivos, Medina foi preso por lavagem de dinheiro e todos seus bens foram confiscados pela Polícia Federal — incluindo a famosa Ferrari.

Agora em poder das autoridades, o carro já foi devidamente adesivado pela Prefectura Naval Argentina (o equivalente à Companhia da Polícia do Batalhão Naval ou a Guarda Costeira) para participar apenas de atos públicos e exibições, como símbolo das forças patrulheiras.

Sorte dos policiais, já que é difícil ver uma 458 Italia circulando por lá: apenas 15 unidades estão emplacadas em todo o território argentino.

UOL
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem