Você viu?

Robôs sonham? Veja o que se passa no subconsciente de um software do Google

O que pensa um robô? Talvez não seja possível ainda ouvir os pensamentos e reflexões de um ser de inteligência artificial, mas eles já conseguem nos mostrar isso visualmente —e produzir arte.

O Google tem um software de reconhecimento de imagens que é o que se chama, na computação, de rede neural artificial. É um sistema inspirado pelo sistema nervoso de um animal, capaz de aprender e se desenvolver reconhecendo padrões.

É assim que, entre outras coisas, esse software consegue procurar imagens semelhantes umas às outras no Google Imagens, ou reconhecer rostos.

Para testar as capacidades desse robô, os pesquisadores da empresa decidiram testar as interpretações dele a partir de certas imagens. Eles alimentavam o robô com uma imagem neutra, com ruído ao fundo, e pediam para que o ruído fosse otimizado para se parecer mais com a imagem de uma banana, por exemplo (veja na galeria abaixo os resultados).

Assim, eles descobriram que o robô conseguia gerar novas imagens a partir das informações que ele tinha colhido no reconhecimento das semelhanças entre fotos no passado. Dessa forma é possível enxergar a banana "ideal" imaginada pelo robô, ou a formiga, a estrela-do-mar e o parafuso ideais.

Os cientistas fizeram ainda outro experimento. Eles mostravam fotos e pinturas para o robô e pediam que ele reconhecesse o que há ali —um cavalo? um cachorro?— e reproduzissem, sobrepostas, mais imagens do mesmo tipo.

É o mesmo que o clássico passatempo de ver nuvens e imaginar o que elas representam. No topo da imagem, os robôs desenharam as figuras enxergadas na hora. Veja, abaixo, fotos do experimento.


Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias