Televisão

Priscila Steinman fala sobre par com Caio Castro e cena 'mais difícil' de 'Novo Mundo'

'História boa é atemporal', diz atriz que interpreta Isaura

Priscila Steinman
Isaura (Priscila Steinman) em 'Novo Mundo' - Divulgação
São Paulo

A autora e atriz Priscila Steinman, 32, já revelou que tem aproveitado o período de isolamento social para escrever a nova temporada de "Malhação", mas enquanto isso, acompanha dois de seus trabalhos que estão no ar atualmente, em reprises especiais da Globo: Sofia, em "Totalmente Demais", que tem previsão de aparecer na trama a partir do dia 17 de julho; e Isaura, em "Novo Mundo", que desenvolve um relacionamento com Dom Pedro I (Caio Castro).

Deste último folhetim, a atriz lembra com carinho a relação que teve com Castro em cena e, mais do que isso, a composição de sua personagem. "Viver Isaura foi uma oportunidade de poder experimentar um universo inédito. Me atraiu dar vida para uma personagem empoderada, 'avant-garde', que usava calça, algo impensável para o século XIX", diz

Como você recebeu a notícia da volta de 'Novo Mundo'?
A escolha de 'Novo Mundo' como edição especial foi muito pertinente. É uma novela que utiliza do tom de realismo fantástico para falar da história do nosso país, trazendo temas relevantes. Estamos vivendo um momento no Brasil em que precisamos questionar diversas posturas, escolhas e diretrizes.

Qual a importância da personagem Isaura na sua carreira?
Eu amo novela de época. Viver Isaura foi uma oportunidade de poder experimentar um universo inédito. Me atraiu dar vida para uma personagem empoderada, "avant-garde", que usava calça, algo impensável para o século XIX.

Qual cena gostaria de rever?
O momento em que Isaura e Dom Pedro (Caio Castro) conversam sobre as constelações, metaforizando com o momento em que estão vivendo. Ou quando Isaura explica para Dom Pedro sobre a Lei de Newton, dando origem ao primeiro beijo do casal.

Qual a cena mais difícil?
Essa resposta contém spoiler: a cena em que Isaura é colocada num caixote e enviada num navio, como uma artimanha de Domitila, teve algumas particularidades mais trabalhosas, mas não chegou a ser difícil. Toda a equipe de excelentes profissionais que pude trabalhar nas gravações contribuiu muito para não haver dificuldade em nenhuma cena em particular.

Que momento das gravações você lembra com mais carinho?
Quando chegamos na locação e vimos uma linda paisagem do alto da montanha.

O que você tem ouvido dos amigos e do público desde que foi anunciada a volta da novela?
É uma novela deliciosa de acompanhar. Divertida, leve e relevante, excelentes ingredientes que a Thereza Falcão e o Alessandro Marson, junto com os colaboradores desfrutaram lindamente. A direção artística do Vinícius Coimbra também é deslumbrante! Escuto muitos elogios sobre a estética, a interpretação do elenco, os figurinos... todas as áreas! A novela é linda! História boa é atemporal.

Tem alguma característica ou algo que você aprendeu com o personagem que ficou para a sua vida?
O figurino era realmente muito inspirador e criativo. Para mim a personagem aconteceu ali, no momento da prova de caracterização. Foi a partir do detalhe que eu percebi a personagem, ao colocar um par de brinco que era um vidro de absinto.

Como tem passado esses dias de isolamento?
Respeitando todos os protocolos necessários, trabalhando bastante, aproveitando a oportunidade de fazer todas as refeições com a minha família, valorizando cada instante que estou podendo ter com a minha filha, por mais que seja quase um malabarismo trabalhar com uma bebê em casa. Driblo o cansaço diariamente. Mas é um dia de cada vez. Alguns momentos melhores, outros piores. Procuro contribuir com ações de apoio às pessoas em situações vulneráveis toda semana. Acho que é meu dever como cidadã reconhecer os meus privilégios, possibilidades e exercer a diferença como for possível.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem