Televisão

Netflix e instituto audiovisual doarão R$ 5 mi para ajudar trabalhadores do setor no Brasil

Profissionais poderão solicitar benefício a partir de 28 de abril

Imagem do filme "Sergio", original da Netflix, que tem Wagner Moura no elenco
Imagem do filme "Sergio", original da Netflix, que tem Wagner Moura no elenco - Divulgação
São Paulo

A Netflix anunciou nesta terça-feira (14) a doação de R$ 5 milhões para ajudar trabalhadores do setor audiovisual brasileiro que foram afetados pela quarentena do novo coronavírus. O valor faz parte de um fundo criado pela plataforma, junto com o ICAB (Instituto de Conteúdos Audiovisuais Brasileiros).

A iniciativa é para ajudar profissionais como produtores, assistentes e operadores de câmera, maquiagem, figurino, entre outros, que em sua maioria recebem por semana ou não têm contratos garantidos. A ideia é beneficiar até 5.000 pessoas com depósito único no valor do salário mínimo, R$ 1.045.

Segundo a Netflix, a doação da plataforma faz parte do fundo US$ 100 milhões (cerca de R$ 505 milhões), anunciado no dia 20 de março, para ajudar pessoas do setor prejudicadas pela pandemia em vários países como o Brasil, que, segundo a plataforma, “é onde a Netflix tem uma grande base de produção”.

“A comunidade criativa brasileira sempre recebeu muito bem a Netflix e agora queremos fazer nossa parte para ajudar quem precisa de apoio neste momento sem precedentes que vivemos”, disse no comunicado desta terça o vice-presidente de produções para América Latina da Netflix, Francisco Ramos.

O fundo, no entanto, será gerenciado pelo ICAB, que receberá, a partir de 28 de abril, as inscrições dos profissionais que solicitarem a ajuda pelo site do ICAB (icabrasil.org). A escolha pelos beneficiados será feita por um comitê formado por membros do instituto, da Bravi (Brasil Audiovisual Independente) e da Netflix.

As inscrições poderão ser feitas por dois meses ou até que os recursos do fundo se esgotem. O diretor-executivo do ICAB, Mauro Garcia, afirma que a ideia é “convocar outros membros da indústria audiovisual do país para contribuir e aumentar os recursos”.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem