Televisão

De críticas ao enredo a rejeição às atuações, 'Deus Salve o Rei' termina nesta segunda

A novela de Daniel Adjafre recuperou audiência na reta final

Amália (Marina Ruy Barbosa) e Afonso (Rômulo Estrela) terminam trama juntos
Amália (Marina Ruy Barbosa) e Afonso (Rômulo Estrela) terminam trama juntos - Artur Meninea/Gshow

Descrição de chapéu Agora
Leandro Vieira
São Paulo

Este texto contém spoiler.

O caminho de "Deus Salve o Rei", novela das sete da Globo que termina nesta segunda (30), não foi fácil. A história demorou para captar o público, e alguns atores, em especial Bruna Marquezine, que interpretou Catarina, sofreram críticas.

A audiência, com isso, custou a reagir. O folhetim teve média de 25 pontos, abaixo do anterior, "Pega Pega", que registrou média geral de 29 pontos (na Grande SP, cada ponto equivale a 72 mil domicílios). Mas, neste final, a trama tem mostrado bons números.

O capítulo da última quinta (26), por exemplo, registrou 30 pontos, o seu recorde. Essa recuperação aconteceu gradativamente desde abril, com a entrada do experiente Ricardo Linhares para, como supervisor de textos, trabalhar ao lado do autor, Daniel Adjafre.

Atenção! Se a novela conseguiu se salvar, o mesmo não vai acontecer com Catarina. A vilã será condenada à morte e enforcada. "Ela cometeu diversos crimes, e a lógica naquela sociedade, como em qualquer outra, é que criminosos paguem por seus atos", conta Adjafre.

Isso também vai significar sofrimento a Brice (Bia Arantes), mãe de Catarina, que voltou a ter contato com a filha há pouco tempo, apenas. "A Brice já deixou claro que não medirá esforços para proteger a filha. Ela certamente lutará incansavelmente em favor de Catarina", revela Bia.

O autor conta que Brice batalhará até o último instante pela filha. E deixa um lembrete: "É bom deixar claro que Brice é uma personagem imoral. Ela mesma já disse que o certo e o errado são relativos".

Já o casal de mocinhos de "Deus Salve o Rei" terá um final mais feliz. Afonso (Rômulo Estrela) e Amália (Marina Ruy Barbosa) ficarão juntos. "Os dois têm uma trajetória de grandes conquistas e lutaram o tempo todo pelo direito de ficar juntos. Não seria justo um golpe de sorte se sobrepor a isso", diz Adjafre.

Marina fala sobre como será esse desfecho: "É uma novela medieval, mas que trata de assuntos sérios e atuais. Tem comédia com críticas sociais, amor, drama... Enfim, não deixa de ser uma fábula, uma trama mágica. Então, acho que as pessoas podem esperar toda essa mistura nas cenas lindas que fizemos de coração".

"OTÁVIO VAI MOSTRAR AMOR À FILHA"

Otávio, interpretado pelo ator Alexandre Borges, é outro malvado que não terminará bem na novela. Em uma batalha entre Montemor e Lastrilha, ele será golpeado e não vai resistir. O malvado, que passou a trama inteira encontrando modos de ter mais poder, vai mostrar no fim de sua vida um pouco de compaixão.

"Otávio descobre que o amor pela filha, Selena, é maior que sua sede por poder. No momento de sua morte, ele pede para Afonso [Rômulo Estrela] coroá-la rainha da Lastrilha", conta o ator, citando a personagem vivida pela atriz Marina Moschen. O pedido será atendido.

"Ela nunca teve essa ambição. O que ela queria, e já conseguiu, foi entrar para a academia militar e provar a todos que podia ser uma guerreira", completa o autor da novela, Daniel Adjafre.

"AUTOR RECEBEU AJUDA PARA CORRIGIR ERROS"

A novela começou oscilante, mas conseguiu retomar o caminho certo, na opinião dos especialistas em teledramaturgia ouvidos pela reportagem. Uma das principais críticas foi para a atuação de Bruna Marquezine, que interpretou a vilã Catarina.

"Ela de fato estava robótica em suas primeiras cenas. Mas não foi culpa dela. Certamente tem a ver com a orientação da direção", afirma o crítico de TV Nilson Xavier. "Perceberam que o trabalho dela não estava bom e corrigiram, tanto que ela terminou a novela com boas atuações."

Doutor em comunicação e professor da área na Faculdade Cásper Líbero, Dirceu Lemos concorda. "As reclamações que ela recebeu no início foram merecidas. Porém, com o tempo, ela melhorou."

Com relação à trama como um todo, Xavier destaca que "Deus Salve o Rei" não conseguiu apresentar uma história consistente. "A impressão era de que os fatos iam aparecendo sem planejamento. A entrada do Ricardo Linhares como coordenador de textos melhorou a trama. Mesmo assim, ainda foi difícil achar uma história central forte."

Lemos também fala sobre a entrada de Linhares na criação da novela. "Antes disso, 'Deus Salve o Rei' estava forçando a mão na comédia e virando quase um pastelão. Ele colocou aventura na trama, que ficou mais interessante."

Eles também falam dos pontos positivos da novela. "A produção foi caprichosa. Cenários, figurinos e efeitos especiais estavam muito bonitos", diz Xavier. Lemos ressalta a liga do casal Afonso (Rômulo Estrela) e Amália (Marina Ruy Barbosa). "A Glória, vivida pela Monique Alfradique, também ofereceu uma boa dose de risadas ao espectador."

Agora
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem