Televisão

Rodrigo Lombardi diz que agitador de 'Meu Pedacinho de Chão' não é inspirado em políticos

Rodrigo Lombardi, 36, disse que não se inspirou em ninguém específico para compor o agitador político Pedro Falcão, seu personagem em "Meu Pedacinho de Chão" (Globo).

"Meu personagem é a personificação do bem, uma pessoa que olha para o futuro, à frente do seu tempo", explicou o ator ao "F5". "A gente não falou: 'Esse personagem é tal político'. A gente falou: 'Esse conjunto vai construir, vai edificar alguma coisa'."

"Não queremos colocar nada na cabeça de ninguém, cada um vai tirar as suas conclusões a partir do que nós estamos fazendo. A gente oferece informação, amor, carinho, tudo para quem puder e quem quiser pegar."

A trama da novela gira em torno do confronto entre Pedro Falcão e o Coronel Epaminondas (Osmar Prado), numa representação do choque entre progresso e retrocesso, respectivamente.

"É o paralelo que a gente faz com a vida, com o país que a gente vive, em que, muitas vezes, eu acho que não se trata a educação como devia para que as pessoas que estão no poder possam continuar no poder", avaliou.


IDADE

No folhetim, Rodrigo interpreta o pai da atriz Paula Barbosa, 27, neta do autor Benedito Ruy Barbosa.

A diferença de idade entre eles é de apenas nove anos, mas o ator acredita que o tom de fábula da novela permite a licença poética.

"A gente joga, é uma sintonia. Não é ser pai de alguém. Eu podia ser pai até do Osmar Prado nessa novela", disse, referindo-se ao colega de elenco, de 66 anos.

Paula Barbosa acredita que o jeito "moleca" de sua personagem, Gina, também ajuda a disfarçar a pouca diferença de idade.

"A Gina tem uma atitude mais rebelde, impulsiva, que lembra uma adolescente", disse ao "F5". "Isso a torna mais jovial. Além disso, o Rodrigo fez um trabalho de corpo e de voz para o personagem que o torna, em cena, mais velho do que ele é de fato. Então essa pouca diferença de idade não se evidencia."

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem