Televisão

Canal ARTE 1 nasce com desafio de conciliar o erudito e popular

Lançado oficialmente na quarta-feira (20), o canal ARTE 1, do Grupo Bandeirantes, terá desde óperas a manifestações populares brasileiras, além de uma "revista semanal" sobre cultura, apresentada por Gisele Kato, editora-chefe do canal.

Crédito: Editoria de Arte/Folhapress

O ARTE 1 irá ao ar pelas operadoras Sky, Net, Claro, GVT, Oi TV e NeoTV.

"Não queremos ser percebidos como um canal erudito", afirma Rogério Gallo, diretor-geral do ARTE 1. A programação abarcará manifestações de cultura que fogem do eixo "Rio-São Paulo", segundo ele, que afirma que as séries serão prioridade para a fidelização do público.

A arte urbana e o roubo de quadros de museus brasileiros são exemplos de temas abordados por elas.

O lançamento do canal havia sido adiado para que se adequasse à nova lei da TV paga, que exige a exibição de três horas e meia semanais de conteúdo nacional. De acordo com Gallo, mais de 50% da programação do horário nobre da ARTE 1 é feita no Brasil.

Para Paulo Saad Jafet, vice do Grupo Bandeirantes, a lei aumentou o custo de programas nacionais, prejudicando produções independentes. "Só dois grupos podem competir: a Globosat e o Grupo Bandeirantes", afirma. Segundo ele, o custo operacional do canal em 2013 deve ser de cerca de R$ 20 milhões.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias