Televisão

Ronaldo Ésper diz que vai processar a Record

O estilista Ronaldo Ésper, 68, abandonou nesta sexta (26) o palco do "Programa da Tarde" após o apresentador Britto Júnior fazer a seguinte pergunta: "O Clodovil dizia... que você tinha esse costume de roubar obras de arte na casa dos outros. Por que ele dizia isso?".

Ésper ganhou R$ 5.000 por danos morais em 2009 em contra Clodovil, que o havia acusado de roubar obras de arte da Itália. Agora, o estilista diz que vai processar a Record e o apresentador do programa. A Record diz que não o desrespeitou e que aguardará comunicado oficial da Justiça.

A Folha falou com o costureiro das alfinetadas assim que ele chegou em casa, vindo do estúdio da Record.

Crédito: TV Cultura O estilista Ronaldo Ésper
O estilista Ronaldo Ésper


Folha - O senhor está chateado?
Ronaldo Ésper - Muito. O Britto disse no ar que eu teria roubado obras de arte de pessoas conhecidas em São Paulo. Eu gostaria que essas pessoas viessem a público. O programa estava com pico altíssimo [de audiência] e eu saí. Isso me prejudica muito, as insinuações.

O assunto é um desagrado pessoal, ou também prejudica os negócios?
É uma coisa que me prejudica muito, nos negócios, me discriminam muito. Que país é esse em que os políticos roubam trilhões... Espera só um minutinho, estou vendo de novo na TV.

O senhor disse no ar que consultaria seu advogado para tomar providências. Já sabe o que vai fazer?
Pretendemos processar a produção do programa. E o apresentador. Todo o mundo que estiver envolvido, quem fez a pergunta e o canal que deu espaço para eles dizerem isso.

Faz mal aos negócios, então?
Quem vai querer comprar roupas de um estilista ladrão? Vem me prejudicando há anos. Não tem razão para isso. Você pode consultar o Consulado da Itália e perguntar se eu sou "persona non grata" no país. Não sou! O Clodovil fez essa insinuação porque me invejava e perdeu um processo. O espólio dele me deve dinheiro [R$ 5.000]. Clodovil colecionava caramujos, enquanto eu colecionava Picassos.

Se a Record ou os apresentadores pedirem desculpa, o senhor cogita desistir do processo?
Não. Eu não quero desculpas de ninguém. Eu quero que a justiça seja feita na Justiça.

O senhor tinha sido convidado a fazer o que no programa?
Eles iam me homenagear, imagina só. Vieram na minha casa, entrevistaram a minha mãe. Esse já era o segundo programa de que eu participava, ia dar alfinetadas quando ele veio com essa frase.

O senhor já buscou assessoria jurídica uma hora depois do ocorrido?
Meu advogado estava na plateia, por coincidência. Ele não queria que eu saísse. Sou convidado por muitos programas de TV, além de ter o meu próprio ["Alfinetadas', no canal CNT] Fui convidado na semana passada por eles e também pelo Multishow, da Globo. Ninguém faz essas insinuações.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias