Saiu no NP

Gangue de mulheres ameaça Silvio Santos

"Para pagar um resgate de 800 milhões de cruzeiros velhos, eu precisaria trabalhar durante 80 anos", afirmou o apresentador Silvio Santos ao "Notícias Populares" dias após ter sido ameaçado de sequestro em 1969, em São Paulo. Passado o susto, o assunto foi o principal destaque do jornal em 1º de outubro daquele ano.

O "NP" relatou que a façanha contra o apresentador e empresário, então com 38 anos, partira de uma suposta quadrilha denominada "Gang", cujos integrantes, mesmo não tendo consumado o fato, prenunciaram a quantia de 800 milhões de cruzeiros velhos como valor de resgate. Silvio Santos, no entanto, decidira não envolver a polícia e a imprensa no caso, a estratégia era não fazer alarde em torno do episódio.

Crédito: out.1969/Folhapress
O apresentador Silvio Santos, em 1969

O "NP" contou ainda que, embora o apresentador tivesse passado por "dias de verdadeiro terror" com o impasse, em nenhum momento descartou a hipótese de a ameaça ter sido uma "brincadeira de mau gosto" por parte de amigos ou admiradores, o que para ele era o mais provável.

A tentativa do crime só foi divulgada após semanas pelo apresentador. Contudo, ainda não tinham sido descobertos os responsáveis pelo contrassenso. Mas, para o empresário, o caso já era página virada.

Na ocasião, Silvio Santos já era um dos mais prestigiados animadores da TV brasileira, onde comandava dois programas homônimos: um exibido às sextas-feiras pela extinta TV Tupi (canal 4), e o outro aos domingos pela TV Paulista (hoje Rede Globo). Silvio Santos também já desfrutava do status de homem mais rico entre os artistas e apresentadores de TV da época.

No entanto, de forma inesperada, no mesmo 1º de outubro em que o "NP" noticiara a ameaça, e "quando tudo parecia serenar" diante do caso, a reportagem do jornal fora surpreendida por um misterioso telefonema: era uma voz feminina anunciando que não estava descartada a possibilidade do sequestro do empresário. No decorrer da ligação, a enigmática interlocutora deixou escapar que um grupo de mulheres entraria na "jogada" do sequestro.

A nova ameaça rendeu ao "NP" a reportagem "Gang de Mulheres no Rapto de Silvio Santos", veiculada em 2 de outubro de 1969. Nela, o jornal contou que nenhuma medida havia sido tomada com relação à segurança do apresentador. As autoridades locais, por sua vez, declararam que não haviam recebido qualquer queixa do empresário referente à nova ocorrência.

A notícia motivou inúmeros telefonemas à redação do "NP", todos vindos de espectadoras e frequentadoras assíduas dos programas do apresentador. Na reportagem "Esquadrão de Mulheres Defende Silvio Santos das Ameaças de Rapto", publicada no dia 3 de outubro, o periódico dava detalhes do contato das fãs do apresentador com o jornal: "...muitas foram as moças que ligaram para a redação afirmando estarem dispostas a defender o animador de televisão... uma delas, residente na Penha [região leste de São Paulo], frisou que na rua onde mora, as jovens estariam se reunindo para formar um verdadeiro 'esquadrão' em defesa do artista". Era a prova do prestígio conquistado por Silvio Santos por meio da TV e do rádio. Todavia a origem das ameaças ainda era um mistério a ser desvendado.


Silvio Santos, então, resolvera fazer uma visita ao "NP" para falar sobre as ameaças: "... não comentei com meus familiares, guardei o segredo comigo e só o revelei à esta redação em conversa com amigos... temi por alguns instantes, mas depois coloquei a cabeça no lugar e vi que nada tinha a oferecer para quem quer que fosse em troca da minha integridade física".

No depoimento, Silvio Santos reafirmou ainda acreditar que as ameaças teriam partido de algum "amigo brincalhão" ou de fãs. Falou também das dificuldades enfrentadas ao longo da vida. E contou de suas conquistas, frutos de trabalho contínuo.

Por fim, em 5 de outubro, um dia após a ida do apresentador à redação do "NP", o enigma fora revelado pelo jornal. Em reportagem intitulada "Esclarecido 'Rapto' de Silvio Santos", o jornal conseguira a informação de que tudo não passava de um plano elaborado por um grupo de fãs aficionadas pelo apresentador e que tinham como pretexto estarem mais próximas do ídolo. Um desfecho já estimado pelo maior animador da televisão brasileira.

Crédito: 1969/Folhapress Silvio Santos em um dos programas televisivos que apresentava em 1969
Silvio Santos em um dos programas televisivos que apresentava em 1969

Em outro episódio, porém, ocorrido em 30 de agosto de 2001, quando o "Notícias Populares" já era um jornal extinto, Silvio Santos foi mantido refém durante sete horas pelo sequestrador Fernando Dutra Pinto, 22, em sua casa no bairro do Morumbi (região oeste de São Paulo). O governador Geraldo Alckmin, a pedido do bandido e acompanhado de cerca de 200 policiais, participou da negociação para a rendição do criminoso.

Fernando Dutra Pinto era o mesmo homem que uma semana antes havia sequestrado a filha do empresário, a hoje apresentadora do SBT Patrícia Abravanel, que, com 23 anos na ocasião, havia sido mantida por sete dias em cativeiro. O desenlace de ambos os casos foi bem-sucedido para pai e filha, e o bandido acabou detido.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias