Saiu no NP

Monstro apavora banhistas e pescadores na Billings

Mito, verdade ou lenda urbana? Ao longo de sua história, o "Notícias Populares" trouxe relatos em suas páginas que aguçaram a curiosidade de seus leitores.

No "Saiu no NP" desta semana mantém a pergunta que norteou oito reportagens nos anos 70 e 80: Será que a represa Billings também tem o seu monstro como o do lago Ness?

Bem, verdade ou mentira, a existência da criatura do lago Ness foi relatada pela primeira vez no século 6, na Escócia e até hoje é notícia nos jornais escoceses. Mas só vendo para crer.

Quanto à represa na região da Grande São Paulo, em 5 de dezembro de 1975, o "NP" trouxe a manchete "Pescadores dizem que há um monstro na Billings", que relatou a existência de um ser que ninguém soube precisar a forma e o tamanho, mas assustou pescadores e frequentadores da represa.

De acordo com alguns que afirmaram tê-lo visto no lugar denominado Rio Pequeno, uma das ilhas da represa, o "monstro", além de assustar, arrebentou redes de pescadores e afugentou peixes.

O pescador e barqueiro Assendino Adão de Souza exibiu sua rede de 10 metros de comprimento com um enorme rombo em suas malhas e contou à reportagem do "NP" que foi horrível e estranho quando chegou à Ilha Pelada com seu ajudante José Moreira da Silva.

"A água fazia rodamoinhos próximo à bola da malha. Parei o barco e vi quando um dorso prateado de um animal se apresentou à tona d'água. Ele parecia estar comendo algo. Aí, o bicho, tremendo muito e com os olhos abertos, desapareceu em alta velocidade nas profundezas da represa."

Crédito: Folhapress
Pescadores remam apavorados quando avistam uma criatura gigante e prateada na represa Billings

José Silva, ajudante de Assendino, confirmou o que disse seu mestre e ainda trouxe outros detalhes sobre a forma do animal. "Eu vi o monstro quando mergulhou. Isso ninguém vai nos desmentir. Uma de suas patas parecia uma 'mão de jacaré' com enormes membranas entre os dedos."

Esses relatos motivaram outras histórias de pessoas assustadas que diziam ter visto a criatura, tanto que o destaque do "NP" em 6 de dezembro foi "Monstro é terror da Billings".

Cláudio Antoniassi, dono de um bar flutuante localizado no km 35,5 da Estrada Velha do Mar, afirmou que uma vez dormiu dentro do seu estabelecimento quando foi despertado pelo vaivém da lancha. "Estava clareando o dia. Sai pela porta do barco e vi quando o animal tentava mergulhar sob uma barcaça. Não sei se foi pelo reflexo das primeiras luzes do sol. Só sei que pareceu prateado."

A notícia da existência de um monstro levou muitos curiosos a visitarem a represa para saber mais sobre a história da criatura. Muitos alugavam barcos para percorrerem as diversas ilhas da Billings.

Certa tarde, diante de alguns pescadores, o bicho emergiu das águas da represa e ficou durante uns dez minutos, mas fugiu depois do flash de uma máquina fotográfica.

Foi a manchete que faltava para matar a curiosidade dos seus leitores. "Fotografado o Monstro da Billings" foi publicada no dia 7 de dezembro com a foto da criatura emergindo da represa.

"O animal é algo espetacular. Parece coisa de ficção científica. Seus movimentos são lentos e, à tona da água, nada com uma velocidade espantosa. Não emite qualquer ruído e olha curiosamente as pessoas à margem da represa", afirmou à reportagem do "NP" José Carlos Brito, mecânico que costuma pescar na represa Billings.

Já Lurdes da Silva Câmara, que pescava em companhia do marido Antônio Câmara, viu quando o "monstro" emergiu e, aterrorizada, desmaiou.


Outros comentários descreviam a tal criatura como um lagarto gigante com olhos grandes e cores esverdeadas, azuladas e prateadas, e dono de um olhar sem agressividade. "Ele era uma mistura de jacaré com dinossauro, mas lembrava um enorme gafanhoto", afirmou o pescador José Freitas de Oliveira.

Mas, no dia 8 de dezembro, o barqueiro Assendino Adão afirmou acreditar que o "Monstro da Billings devorou 40 pessoas". O número, publicado pelo "Notícias Populares", estava ligado às estatísticas fornecidas pela Companhia Independente de Bombeiros de pessoas desaparecidas e mortas por afogamentos. "É lógico que somente podem ter sido devorados pelo 'monstro', tenho muita experiência de água", afirmou à época Assendino.

Para dona Josefina Paulista, 62, doméstica que morava perto da Billings, o aparecimento do "monstro" foi castigo divino. "Essas pessoas vêm passar os fins de semana aqui e abusam da bondade de todos. Vêm quase despidas e promovem orgias nas ilhas aqui por perto. Bebem e fumam até maconha. Ele deve ter comido as pessoas".

Em "Jovem escapa das garras do monstro", no dia de 9 de dezembro, porém, o "NP" relatou o caso de duas pessoas atacadas e que conseguiram se salvar com vida. A primeira vítima foi a escrituraria Conceição Aparecida da Silva, que nadava na Billings quando sentiu o focinho da criatura em uma de suas pernas. Ela gritou e foi salva pelo comerciante Rubens Antoniassi, que estava na represa.

Já o pescador Francisco Pereira da Silva salvou a outra vítima, Mazza Pinho Rodrigues, que apresentava enorme marca avermelhada em sua perna ao ser resgatada das garras do "monstro". "Estava nadando e senti que algo me puxava para baixo", comentou a jovem de 18 anos.

Crédito: Folhapress
Mazza Rodrigues é retirada da Billings por pescador após sentir que foi puxada para baixo d'água por uma pata gigante

A essa altura, o pânico já tomara conta da represa, reforçado pelos relatos publicados no dia 10 de dezembro em "Monstro da Billings acaba com a pescaria". "Foi horrível. A nossa rede foi arrancada e nossas varas de pescar tiradas de nossas mãos. O 'monstro' surgiu mostrando sua cabeça triangular enorme", expressaram os jovens pescadores Marcos Antônio da Silva e Pedro Paulo Souza Alves. "As autoridades deveriam tomar alguma providência para capturar esse monstro. Ninguém mais tem sossego na represa", afirmaram.

Após as primeiras reportagens do "Notícias Populares" sobre a aparição do monstro da represa Billings, populares procuravam o jornal e levantavam as mais variadas hipóteses. No dia 11 de dezembro, uma delas, a de que jovens do ABC empreenderiam uma caça ao bicho, motivou o título "Caravana vai caçar monstro da Billings".

Depois disso, a criatura desapareceu também das páginas do jornal. Seria lenda urbana?

Contudo, cinco anos depois, em 30 de janeiro de 1980, eis que a história ressurge no "Notícias Populares". Em "Monstro verde aterroriza pescadores da Billings", pessoas descreveram ter visto "uma coisa" com formato totalmente estranho e diferente do que era conhecido até então nas histórias de ficção, seja pela cor, um tanto esverdeada e luminosa, seja pelos olhos avermelhados e reluzentes, ou até pelos "uivos" da criatura.

Seria o monstro da Billings parecido com o do lago Ness?

Na Escócia, a história ainda atrai milhares de turistas e contribui para a economia local. No Brasil, a polícia nada informou com segurança sobre a existência de monstro na represa Billings, mas também não afastou a possibilidade de o mesmo existir.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias