Nerdices

'BTS World': De vício em leite ao sonho de ser detetive, jogo revela intimidades do grupo de k-pop

Com conteúdo inédito, game interativo aproxima fãs dos integrantes da banda

'BTS World': o novo jogo do grupo de k-pop BTS

'BTS World': o novo jogo do grupo de k-pop BTS Divulgação

Beatriz Vilanova
São Paulo

Faltam poucas horas para os fãs do grupo de k-pop BTS serem presenteados com o jogo "BTS World" e ficarem entretidos por dias, afundados em seus celulares. Voltado para dispositivos com sistema iOS e Android, o "BTS World" será lançado nesta terça-feira (25) e conta a trajetória do grupo de sul-coreanos que é fenômeno global.

O novo game traz mais de 10 mil fotos e 100 vídeos inéditos, produzidos nos últimos dois anos e meio, no qual os fãs poderão acompanhar a construção da carreira dos sete integrantes do grupo – RM, Jin, Suga, J-Hope, Jimin, V e Jung Kook. A principal interação com a banda será a possibilidade de fazer "chamadas de vídeos" com os jovens e ser uma espécie de empresário da banda, para decidir questões como agenda de shows e lançamento de singles. 

"BTS World" foi produzido pela companhia Netmarble, responsável por games como "Marvel Future Fight" e "Star Wars: Force Arena", e que só em 2018 faturou em torno de US$ 1,8 bilhão (cerca de R$ 7 bilhões).

No entanto, Joon Yoon, o diretor de marketing da empresa, afirma que o jogo do BTS é bastante diferente de tudo o que eles já fizeram. "É um jogo mais interativo, cinemático e narrativo, voltado para os fãs se tornarem ainda mais fãs. É feito para que as pessoas tenham uma relação mais próxima com os membros do grupo. A história [do jogo] volta para 2012, antes de o grupo debutar. E você será o empresário da banda, que vai ajudá-los a crescer."

Yoon diz ainda que o game é segmentado em sete capítulos, com dezenas de conteúdos em cada um e três níveis. "Como gerente, você é responsável por cada aspecto da vida deles. Desde as escolhas de roupas, até que tipo de apartamento eles têm que ter e os seus hábitos alimentares."

O jogador também precisará escolher onde eles farão shows, e se aparecerão em programas de TV ou não. As escolhas alteram o humor dos personagens, mas a linha narrativa do jogo acaba sempre apontando para um mesmo final –o sucesso do BTS.

É possível ainda manejar as redes sociais dos integrantes, trocar mensagens, fazer videoconferências com eles – pré-gravadas, é claro– e conhecer particularidades de cada um. "Você fica sabendo que Jungkook, por exemplo, adora dormir e está sempre sonolento. Jin ama leite achocolatado. O jogo revela  a personalidade deles, porque trabalhamos muito próximos do grupo e eles ficaram muito envolvidos na produção", revela Yoon.

Outro fator interessante do game é que ele explora realidades paralelas dos sul-coreanos. Em outras palavras, os integrantes gravaram vídeos como se estivessem vivendo aquilo que sonhavam fazer profissionalmente, se não estivessem no BTS.

"Tem a história principal, baseada no lançamento deles como grupo, que é inspirada em eventos reais. Mas há também outra linha da história, com um universo paralelo de ‘o que fariam os integrantes do BTS se não existisse o grupo?’”, diz Yoon. "Isso é baseado em entrevistas reais deles, o que eles disseram sobre como se imaginariam."

Jin, por exemplo, gostaria de entrar para o ramo hoteleiro e ganha uma história toda baseada nele como um funcionário de hotel, precisando lidar com uma criança insatisfeita, que é sua cliente. Já RM gostaria de ser um detetive; Suga, um pianista; J-Hope um veterinário; V um fazendeiro de morangos; Park Ji-min, um chef de cozinha; e Jeon Jung-kook queria ser um mestre de Taekwondo.

"Você tem que conhecer eles. Às vezes, eles podem perguntar [no jogo] ‘Ei, você sabe que dia é hoje?’, e se você não souber que é o aniversário de Jin, ele pode ficar bravo", conta Yoon.

Outro presente para os fãs é uma seleção de músicas inéditas contidas no jogo. Serão quatro, sendo que três delas foram divulgadas nas últimas semanas –"Brand New Day", por exemplo, em parceria com a sueca Zara Larsson.

"BTS World" está disponível para pré-registro desde maio, e será lançado em 30 línguas diferentes, inclusive no português brasileiro, que será diferente da versão de Portugal. Dentre os países que mais fizeram o cadastro inicial estão Coreia, Japão, EUA e Brasil.

"Entendemos que BTS tem muitos fãs, especialmente no Brasil, e queremos prestar atenção nisso”, diz Simon Sim, o presidente da Netmarble. "Percebemos que, no Brasil, o mercado de smartphones está crescendo incrivelmente rápido e estamos sempre buscamos e que pode caber neste mercado, fazendo jogos mais acessíveis para essa audiência. Esse jogo é muito casual e pode atrair pessoas desde os nove anos até os mais velhos."

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias