Música

Procon notifica Villa Country a explicar agressão de mulher dentro da casa noturna

Boate de São Paulo tem prazo de 72 horas para esclarecimento

Villa Country, casa noturna na zona oeste de São Paulo
Villa Country, casa noturna na zona oeste de São Paulo - Instagram/VillaCountry
São Paulo

O Procon-SP notificou nesta segunda-feira (12) o Villa Country, casa noturna na zona oeste de São Paulo, a explicar sobre episódio ocorrido no último dia 4, em que uma mulher afirma ter sido agredida dentro do local. O estabelecimento tem prazo de 72 horas para se manifestar. 

Na ocasião, Tatiany Arci escreveu em seu Instagram que a boate acobertou o agressor e deixou ele sair impune. Ela disse que já estava indo embora do local, por volta das 4h, quando voltou para procurar o casaco que tinha esquecido. Foi nesse momento que um homem acertou dois murros nela.

"Não havia nenhum segurança para me proteger, não havia nenhum funcionário da casa para me acudir, não havia qualquer ser humano responsável para evitar que um monstro destruísse meu rosto e me tirasse a consciência dentro de uma das casas noturnas mais famosas do país", escreveu.  

Segundo nota do Procon, o Villa Country deverá explicar quais os procedimentos adotados quanto ao episódio; se o serviço de segurança é próprio ou terceirizado; no caso de ser terceirizado, qual a empresa e critérios para contratação; e qual a política interna de treinamento dos funcionários e prestadores de serviço quanto aos direitos e garantias dos consumidores.

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa do Villa Country disse que a casa dará os esclarecimentos necessários ao Procon dentro do prazo estipulado. 

Pouco depois do ocorrido, no dia 6, o estabelecimento emitiu uma nota nas redes sociais, afirmando que, de imediato, a "briga foi apartada pela equipe de segurança", e a vítima "prontamente encaminhada à enfermaria." 

A casa afirmou também que está colaborando com as autoridades para solucionar o caso. "O Villa Country lamenta o ocorrido, e reforça o repúdio a qualquer tipo de agressão e desrespeito", conclui a nota. 

OUTRO CASO

Em maio, a empresária Taynara Diniz, 29, disse ter sido vítima de agressões dos seguranças da casa noturna Villa Mix, na Vila Olímpia, zona sul de São Paulo.

Diniz publicou fotos no Instagram dos hematomas que seriam consequências das agressões, e narrou o ocorrido, dizendo que chegou a fingir um desmaio para tentar fugir. A briga começou após uma confusão envolvendo um homem, que teria jogado um copo de bebida em seu rosto. 

A boate se manifestou dizendo que está "acompanhando a apuração dos fatos e colaborará com as autoridades policiais".

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias