Música

Ariana Grande fará show em Manchester dois anos após ataque terrorista que matou mais de 20

Cantora se apresenta na cidade inglesa no dia 25 de agosto

Ariana Grande no Billboard's 13th Annual Women In Music
Ariana Grande no Billboard's 13th Annual Women In Music - Angela Weiss/AFP
São Paulo

Dois anos após presenciar um ataque terrorista ao final do seu show em Manchester, no Reino Unido, a cantora americana Ariana Grande, 25, voltará à cidade para uma apresentação completa. Ela vai cantar no dia 25 de agosto, como uma das principais atrações do festival Manchester Pride Live.  

A participação da artista foi confirmada pelos organizadores do evento. "Estamos honrados em receber Ariana de volta na cidade para nos ajudar a celebra a vida LGBT+", disse Mark Fletcher, um dos responsáveis pelo festival.

O ataque terrorista aconteceu em maio de 2017 e matou 22 pessoas. Outras centenas ficaram feridas. Duas semanas depois da tragédia, Ariana Grande voltou à cidade para o show  beneficente "One Love Manchester", que reuniu outros artistas como Justin Bieber, Katy Perry, Coldplay e Miley Cyrus. Os lucros do festival foram destinados às famílias das pessoas atingidas pelo ataque. 

Mas esta será a primeira apresentação completa de Ariana Grande depois dos ataques. A cantora vai fazer o show da turnê "Thank U Next", que marca seu retorno aos palcos após a tragédia. A primeira apresentação acontece no dia 18 de março, em Albany, nos Estados Unidos. 

A cantora tem pedido aos fãs que vão ver os shows da turnê para que sigam as ordens de segurança a fim de evitar problemas. Um deles é para que usem malas ou mochilas transparentes com o objetivo de facilitar o trabalho dos policiais na hora da revista. 

Em dezembro, Ariana Grande decidiu não aceitar o  "Damehood', título de honra concedido pela rainha Elizabeth 2ª. A cantora seria homenageada pela realeza britânica por todas as suas ações para ajudar as vítimas do atentado terrorista de Manchester. 

A artista americana ficou com medo da reação das vítimas, que poderiam achar a atitude dela insensível. 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem