Estilo

Criadas por marcas de esporte, bolsas a tiracolo se renovam e ficam mais despojadas e compactas

Hoje há opções ideais a atividades cotidianas, em razão da praticidade

Emicida faz propaganda de sua marca de roupas no Instagram
O rapper Emicida usa bolsa de sua marca de roupas, a Lab Fantasma - Reprodução/Instagram
Descrição de chapéu Agora
Fabiana Schiavon
São Paulo

Práticas, as bolsas a tiracolo, ou "shoulder bags" (bolsas de ombro), ganharam as ruas em modelos despojados e compactos. A tendência nasceu das marcas de esporte, mas hoje há opções ideais a atividades cotidianas, especialmente em razão da praticidade.

Nas vitrines, são encontradas em tecidos diversos, como jeans ou combinações de nylon e poliéster. Zíperes e bolsos dão acabamento a tamanhos minis e pequenos do acessório, geralmente retangular.

Para Laís Urizi, consultora de moda, esses itens estão versáteis. "Mas até a escolha da cor é pessoal. Depende do estilo de quem usa, da ocasião e da mensagem a transmitir. O vermelho anima looks básicos, como pretos", exemplifica.

A também consultora de moda Marcia Jorge acrescenta que o desejo de carregar objetos pessoais com segurança e estilo sempre fez parte do mundo da moda. "A estilista Coco Chanel [1883-1971], francesa, desenvolveu os primeiros modelos que permitiam às mulheres levar pertences e, ao mesmo tempo, ter as mãos livres." 

Como Laís, Marcia crê não haver regras para criar "looks". "Quem compra um item de moda já imagina as combinações que fará. Cada um é livre, não precisa esperar a celebridade usar para virar tendência." E reforça: para bolsas despojadas não é preciso ter visual esportivo.


 

Agora
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias