Diversão

Prático e com temática variada, podcast ganha espaço na hora do lazer e na hora de aprender

Áudios podem ser baixados da internet com linguagem simples

Maurício Birochi, 47 anos, é fã de podcasts e assina quase 40 canais
Maurício Birochi, 47 anos, é fã de podcasts e assina quase 40 canais - Ronny Santos/Folhapress

Descrição de chapéu Agora
Leandro Vieira
São Paulo

Programas parecidos com atrações de rádio disponibilizados na internet, que podem ser ouvidos no celular, estão ganhando espaço e caindo no gosto das pessoas. São os podcasts. Se no começo o alvo eram os ouvintes mais jovens, agora a novidade faz sucesso também entre mais velhos.

“O podcast é melhor do que um vídeo do YouTube, por exemplo, porque você pode ouvi-lo enquanto faz outras coisas. Eu ouço enquanto estou lavando louça ou levo o meu cachorro para passear”, diz o contador Maurício Birochi, 47, que começou a ouvir podcasts em 2005. “Hoje, você encontra uma variedade enorme de temas, como ciência comentada de forma acessível e programas sobre música.”

Birochi, que faz curso de desenvolvimento de sistemas, também usa o recurso para aprender. Para o designer gráfico Julio Costa, 51, que ouve podcasts há seis anos, a vantagem desse conteúdo é a linguagem fácil e acessível.

“Os programas fazem você se sentir dentro daquela conversa. É uma comunicação muito gostosa. Se você ouve um, automaticamente quer conhecer outros”, diz.

Para especialistas, é esse clima de conversa entre amigos o diferencial da atração. A ABPod (Associação Brasileira de Podcasters) realizou, em parceria com a emissora de rádio CBN, pesquisa com produtores e ouvintes, divulgada em outubro, com 23 mil participantes.

“É notório o crescimento dos podcasts no Brasil. O nome já não é mais bicho de sete cabeças, e as próprias emissoras de rádio citam. Além disso, a popularização do smartphone [celular com acesso à internet] e o surgimento do Google Podcasts [aplicativo de pesquisa no celular para usuários do sistema Android] fazem com que ele esteja cada vez mais acessível”, diz Luciano Pires, presidente do ABPod e criador do podcast Café Brasil.

A Folha lançou o podcast Café da Manhã, na plataforma Spotify. De segunda a sexta, a partir das 6h, o programa aborda, de forma leve e direta, os assuntos mais relevantes do dia. Também do jornal, o Presidente da Semana conta a história dos presidentes do Brasil.

“Com sua popularização, as pessoas começarão a usá-lo também para se expressar”, diz Thiago Valadares, diretor da Seven Grupo Digital.

A profissionalização para quem produz os podcasts ainda é um assunto complicado. Kelly Stein, por exemplo, que comanda o Coffea (que fala sobre o universo do café), dedica-se somente a esse trabalho, que tem como recursos doações dos ouvintes. Bem em um estilo de um canal de rádio amador.


APRENDA A OUVIR PODCAST

Para celulares que usam o sistema Android:
- Acesse a Play Store -programa que serve para procurar aplicativos para celular
- Encontre e instale em seu celular um aplicativo que seja agregador de podcasts. Os mais populares e fáceis de usar são o Google Podcasts, o Podcast Addict e o CastBox
- Logo na entrada, eles sugerem alguns podcasts que estão em alta entre o público. Mas você também pode procurar o de sua preferência, pelo nome ou pelo tema
- Depois, é só escutar o episódio desejado
- Você também pode assiná-lo, e, em geral, não precisa pagar por isso. Assim, você receberá um aviso toda vez que houver um conteúdo novo. O botão para habilitar essa opção pode ser “assinar” ou “inscrever-se”

Para celulares Windows Phone:
- Acesse a loja de aplicativos do Windows Phone
- Encontre e instale em seu celular um aplicativo que seja agregador de podcasts. No Windows, alguns são o Casts, o Podcast2Go e o Podcast Picker
- Procure o podcast de sua preferência e pronto
- Existe também a opção de assiná-lo_e, em geral, não precisa pagar por isso. Assim, você receberá um aviso toda vez que houver um conteúdo novo. O botão para habilitar essa opção pode ser “assinar” ou “inscrever-se”

Em aparelhos da Apple:
- Os podcasts estão reunidos no iTunes, e os aparelhos Apple já vem com o aplicativo de podcasts instalado de fábrica
- Ao encontrar o podcast da sua preferência, você pode baixar o programa
- Há também a opção de assinar

Spotify:
O site de compartilhamento de músicas também hospeda podcasts. Em https://open.spotify.com/browse/podcasts, o usuário pode escolher qual programa ele quer ouvir

Fonte: Portal Café Brasil; www.apple.com; www.spotify.com
 


“Eu consigo dinheiro cobrando cachês em eventos e por meio de contratos estabelecidos com feiras. Além disso, nós vamos entrar para o Padrim [plataforma na internet de financiamento coletivo]”, afirma Kelly.

Apaixonada pelo assunto café, ela ainda aborda em seu programa outros temas, como movimentos feministas dentro da agricultura cafeeira. “O café é somente uma desculpa para a gente fazer uma revolução. Há uma série de aspectos que podem ser abordados a partir daí”, complementa.

Já o Ultrageek, que trata do mundo popular, é um exemplo pioneiro de podcast produzido de forma profissional, que já se sustenta por patrocínios há sete anos.

“Abrimos as portas para mostrar o nosso conteúdo para as marcas e estamos atentos aos seus lançamentos, em especial na área de tecnologia”, explica um dos sócios, Maury Menezes.

Produzido por Martha Lopes e Marcella Chartier e realizado ainda de forma amadora, o podcast Mãezonas da Porra trata dos mais variados temas que podem fazer parte da vida de uma mãe.

“Somos amigas há bastante tempo e sempre conversamos sobre a maternidade. Vimos que as mães, por conta das suas tarefas, precisam receber um conteúdo prático, o que o podcast pode fazer. Elas conseguem ouvir um programa enquanto amamentam, por exemplo”, detalha Martha.

E também ressalta a proximidade com o ouvinte que o podcast gera. “Nós falamos de tudo e isso gera um contato mais afetivo com os nossos ouvintes”, complementa. As duas também aproveitam para aprender: Martha tem filhos de oito e dois anos. Já Marcella possui uma filha de um ano e um menino de seis.

LINGUAGEM DE RÁDIO

Uma das características dos podcasts é o fato de contarem com apresentadores que conseguem se comunicar bem com os ouvintes, em uma linguagem que se assemelha à utilizada nas rádios AM.
Isso não impede esse conteúdo de interessar também às gerações mais jovens, que nasceram após a era de popularidade da rádio.

A produtora cultural Juliana Periscinotto, 29, acompanha podcasts há dois anos, com e tem preferência pelos que são feitos em formato de bate-papo, como o Livre Podcast, que trata de variados temas, e o Escuta que É Bom, voltado à música brasileira.

“A facilidade de acesso é uma grande vantagem, já que a maioria pode ser encontrada em serviços de compartilhamento de áudios, como o Spotify. Dá para baixar ou ouvir online em qualquer lugar.”

A praticidade também atrai o designer gráfico Wellington Petit, 27: “É uma linguagem que flui bem para quem quer absorver um conteúdo sem se preocupar em estar perdendo algo visual.”

Agora
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem