Tony Goes

Juliano Cazarré é um bom exemplo de pai, mas suas palavras continuam confusas

Em nova postagem em rede social, ator fala em plano contra a masculinidade

Juliano Cazarré segura no colo seu terceiro filho
Juliano Cazarré segura no colo seu terceiro filho - Reprodução

Uma coisa precisa ser dita a favor de Juliano Cazarré: ele não foge à briga. O ator não só não apagou a polêmica postagem com o vídeo do gorila, publicada em seu perfil no Instagram em 3 de novembro, como voltou à carga neste domingo (10) com um novo post, no qual esclarece suas ideias. Mas não muito.

Cazarré foi malhadíssimo por dizer, na postagem original, que a masculinidade não é uma construção social e que as mães solteiras não saberiam passar os valores masculinos a seus filhos. Depois bateu boca com alguns internautas que o criticaram. Na minha coluna de segunda passada (4), eu escrevi que por baixo da briga havia uma questão interessante, que merecia ser discutida.

Na postagem mais recente, Cazarré surge mais sereno, quase conciliador. Primeiro, diz que recebeu muito mais mensagens de apoio do que críticas. Logo em seguida, toca num ponto importante, que eu reproduzo abaixo:

"Promotores de Justiça me escreveram para dizer que a maioria dos casos que enfrentam nas varas de família tem a ver com a ausência da figura paterna, ou a presença de uma figura paterna ruim. Psicólogos me escreveram dizendo que um número enorme de mães enfrentam (sic) problemas em suas vidas pela ausência de um companheiro saudável com quem dividir a criação dos filhos e as responsabilidades da família." 

Pois é. Tudo isso é verdade. A quantidade homens que abandonam suas companheiras grávidas ou com filhos pequenos é avassaladora. Algumas correntes do feminismo até chamam esse abandono de “aborto masculino”. É um fenômeno com consequências terríveis para toda a sociedade.

Mas o ator se embanana já no parágrafo seguinte. “Quanto mais os pós-modernos empurram suas narrativas sobre masculinidade tóxica, mais tímidos e fracos os homens se tornam. Timidez e fraqueza nunca fizeram bons homens. E mais as mulheres reclamam dos homens. E mais fracos nos tornamos, num círculo vicioso.”

Não são os pós-modernos que fazem com que tantos homens abandonem suas famílias. Não é o discurso contra a masculinidade tóxica que torna os homens tímidos e fracos. Não há fraqueza maior do que dar no pé, e isto já acontecia muitos séculos antes da chamada pós-modernidade.

Cazarré se esquece que a imensa maioria das mães solteiras jamais escolheu criar seus filhos sozinha. A culpa desses garotos crescerem “sem valores masculinos” não é delas: é dos pais fujões, que são covardes e irresponsáveis. E só fizeram isso porque o sistema patriarcal faz vista grossa para tamanha irresponsabilidade. As mulheres que se virem.

O ator chega ao delírio de suspeitar de uma grande conspiração. “Mas não se engane, isso é um plano que está sendo executado com sucesso. Assim que estivermos todos emasculados, vai ficar bem mais fácil implantar um projeto de dominação e poder. Nossos filhos serão criados pelo Estado e seremos todos escravos.”

Não há conspiração nenhuma. O que há é um movimento claro, à luz do dia, que questiona o papel do homem da sociedade. Sim, existem mesmo feministas radicais que pregam a emasculação, mas elas são pouquíssimas e pouco levadas a sério. A esmagadora maioria quer homens presentes, responsáveis, companheiros, que ajudem a tocar a casa e a educar as crianças.

Juliano Cazarré se encaixa perfeitamente nesse modelo masculino. Em suas postagens, o ator demonstra não só que é um ótimo pai, como adora ser um ótimo pai. Palmas para ele. O mundo precisa de pais assim.

“Cuide da sua família, pratique esportes, seja limpo e asseado, leia livros, reze. Gorile-se.”, conclui ele. Gorilas não costumam ler ou rezar, mas tudo bem. As palavras não são mesmo o forte de Cazarré. Mas o exemplo que ele dá é fundamental.

Tony Goes

Tony Goes tem 58 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.com.br

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem