Tony Goes

Briga de José de Abreu e Gloria Perez é ruim para a cultura brasileira

Ator e escritora bateram boca na internet, tragados pela polarização política

Glória Perez bloqueia Zé de Abreu após ser comparada a assassino da filha
Glória Perez bloqueia Zé de Abreu após ser comparada a assassino da filha - Globo/Folhapress
São Paulo

A paixão desenfreada de José de Abreu pelo PT é conhecida há muito tempo. O ator já participou da propaganda eleitoral do partido, não perde uma oportunidade de defender a liberdade de Lula e até cuspiu em um casal que o xingava em um restaurante, em um episódio que o assombra até hoje.

Às vezes essa paixão tem um lado engraçado. No começo do ano, inspirado pelo venezuelano Juan Guaidó, Zé de Abreu se proclamou “presidente” do Brasil, e durante dias nomeou ministros para seu governo paralelo, a partir de seu perfil no Twitter.

Outras vezes, tamanha fissura lhe custa caro. O ator foi condenado a pagar R$ 20 mil ao hospital Albert Einstein, por ter tuitado –sem prova alguma– que a instituição faria parte de um complô que teria forjado a facada no então candidato Jair Bolsonaro, em setembro de 2018.

Volta e meia Zé de Abreu diz que vai se controlar e até desaparece por um tempo da internet. Mas esses exílios voluntários duram pouco e, logo, o ator comete outro excesso.


O mais recente foi no sábado (6). Novamente pelo Twitter, Abreu lamentou que a autora de novelas Glória Perez estivesse do mesmo lado do espectro político que Guilherme de Pádua, o assassino de sua filha Daniela Perez – os dois seriam apoiadores de Bolsonaro.

Sou seguidor tanto de Abreu quanto de Perez naquela rede social, e confesso que nunca vi a roteirista agindo feito bolsominion. Mas isto nem vem ao caso: o que importa é que Zé de Abreu jogou sal em uma ferida aberta, sem um pingo de sensibilidade. O que é até estranho para uma pessoa que também conhece a dor de perder um filho.

 

Glória Perez retrucou na hora, chamando o ator de canalha e avisando que ele seria bloqueado por ela no Twitter. Muita gente aproveitou o mote para achincalhar Abreu na web, inclusive o presidente e seu filho Eduardo.

José de Abreu apagou o tuíte e pediu desculpas. A mim parece claro que ele não queria mesmo ofender Glória Perez, mas se deixou levar (mais uma vez) pela empolgação. Espero que os dois tenham conversado pessoalmente, longe do escrutínio dos internautas, e acertado os ponteiros.

 

Porque é péssimo para a cultura nacional que duas pessoas do quilate de Perez e Abreu se transformem em inimigos. Os dois já trabalharam juntos –ele atuou em novelas dela– e têm muito mais pontos em comum do que divergências. Ao serem tragados pela polarização política que divide o país, perdemos todos.

Admito que é difícil não se polarizar neste momento. Por isso, dá até para dar um desconto a José de Abreu e Glória Perez. Ela exagerou um pouco na reação, mas ele também pisou no tomate. Que façam as pazes logo, porque são dois grandes nomes das artes brasileiras. É preciso mais união, ainda mais quando a nossa cultura está tão ameaçada.

Tony Goes

Tony Goes tem 58 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.com.br

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias