Tony Goes

No embate com 'Haja Coração, 'Escrava Mãe' larga em desvantagem

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Um fato curioso acontece nesta terça-feira (31): duas novelas estreiam no mesmo horário, em emissoras diferentes. O embate entre “Haja Coração” (Globo) e “Escrava Mãe” (Record) promete ser interessante, mas o fato é que a segunda já larga em desvantagem.

A trama de época carrega o fardo de inaugurar uma nova faixa para a dramaturgia de seu canal. Ou seja, precisa conquistar um público diferente do que vê "Cidade Alerta", que perdeu uma hora de duração.

Mas este talvez nem seja o maior obstáculo que essa “prequel” de “A Escrava Isaura” irá enfrentar. “Escrava Mãe” é uma obra fechada. As gravações terminaram no final do ano passado, e toda a equipe já foi dispersada. 

Isto quer dizer que eventuais problemas dificilmente serão corrigidos. Se o público rejeitar um personagem, ou preferir um rumo diferente para alguma das histórias, a Record só poderá mexer na edição dos capítulos. E apenas cortando, nunca acrescentando.

Já a Globo, que há décadas monitora o desenrolar de seus folhetins promovendo grupos de discussão, conseguirá mudar o que for preciso em “Haja Coração”. Este é o grande trunfo de suas novelas: elas costumam ir ao ar ao mesmo tempo em que são gravadas, então as alterações de rota são perfeitamente possíveis.

​Claro que uma obra fechada não é sinônimo de fracasso. A gigantesca rede mexicana Televisa só exibe novelas pré-gravadas. As séries importadas que tanto amamos chegam aqui, na maioria dos casos, totalmente prontas. Mudanças só são feitas de uma temporada para a outra.

Nossas novelas também viajam o mundo depois de finalizadas, e muitas vezes com grande sucesso. Costumam ser editadas para se adequar às necessidades de cada país, mas raramente têm seu conteúdo modificado.

Uma exceção famosa foi “A Próxima Vítima”, exibida em Portugal meses depois do que aqui. A imprensa de lá revelou com antecedência o nome do assassino da trama policial de Sílvio de Abreu. E a Globo não teve dúvidas: gravou um novo final, com um assassino diferente.

É bastante improvável que a Record faça algo parecido se “Escrava Mãe” passar por algum problema, ainda mais em tempos de contenção de despesas. A melhor arma da novela será justamente a sua temática: a escravidão no Brasil do começo do século 19. Bastante diferente do humor urbano e contemporâneo trazido por “Haja Coração”.

Isto é dar opção ao telespectador, e é ótimo. Portanto, desejo sucesso às duas novelas. É bom para quem produz, e melhor ainda para quem assiste.

Tony Goes

Tony Goes tem 60 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.com.br

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias