Tony Goes

Dentista que matou o leão Cecil é o novo inimigo número 1 da humanidade

Há um novo vilão entre nós. O fato dele ser homem, branco, heterossexual e rico —ou seja, não faz parte de nenhuma minoria discriminada— torna-o um alvo ainda mais perfeito para todos os nossos ódios. O dentista Walter James Palmer, desconhecido até a semana passada, é o novo inimigo número 1 da humanidade.

Não estou defendendo o cara. Pelo contrário: acho justíssimo que a vida dele tenha se tornado um inferno. Tenho os caçadores como criaturas desprezíveis, se estiverem caçando apenas pelo prazer de matar um animal. E Palmer já liquidou dezenas de bichos, pagando pequenas fortunas pela oportunidade de matá-los. Merece o fogo eterno.

Este caso é parecido com os que o jornalista britânico Jon Ronson descreve em seu livro "So You've Been Publicly Shamed" ("Então Você Foi Humilhado Publicamente"), do qual eu já falei em outra coluna. A diferença é que as vítimas citadas por Ronson receberam punições desproporcionais por suas ofensas.

Uma profissional de relações públicas perdeu o emprego por causa de um tuíte considerado racista (era só uma piada mal contada). Um escritor teve a reputação destruída por ter inventado uma frase que ele atribuiu a Bob Dylan. Todos pagaram caro por pequenos deslizes.

O dentista de Minnesota não se encaixa nesse figurino. Ele é um "serial killer" de animais em extinção. Tem uma mentalidade digna do século 19 em pleno século 21. Até já desencavaram um processo que sofreu por assédio sexual, o que faria dele um predador em qualquer ambiente onde estiver.


Por que crimes muito maiores, como os massacres de Srebrenica ou Ruanda, não geraram tamanha comoção? Porque, nesses episódios, um monte de anônimos matou outro monte de anônimos. E, por piores que fossem as motivações, elas tinham algum fundo político.

Já Walter Palmer não é mais apenas um caçador: agora ele é o assassino de Cecil, um leão com nome e história. Ou seja, um personagem, praticamente uma pessoa. Já existe uma petição online para que Palmer seja extraditado para o Zimbábue, onde seria julgado por atrair um animal para fora de um parque nacional (mas não por matá-lo, o que não é crime por lá).

O escândalo já ultrapassou as fronteiras da internet. Na terça-feira (28), o apresentador americano Jimmy Kimmel fez um monólogo em seu "talk show" que começou com piadas ("por que você precisa matar um leão para ter uma ereção? Já existem remédios para isto") e terminou em lágrimas.

Com tanta coisa contra e praticamente nada a favor do dentista, todo mundo se sente autorizado a jogar pedras nele, reais ou virtuais. Palmer provavelmente não perderá a clientela —que provavelmente sabia de seu hobby—, já que seu consultório deve ser atulhado de troféus. Mas talvez tenha que fazer uma doação a uma ONG de preservação, ou passar a circular disfarçado.

Mesmo que não tenha quebrado nenhuma lei de nenhum país, Walter Palmer é o nosso malvado favorito. Ah, quer saber? Não tenho a menor dó.

Tony Goes

Tony Goes tem 60 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.com.br

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias