Publicidade

colunistas - ricardo feltrin

Globo, Record, SBT e Band são canais mais vistos da TV paga

13/10/2011 - 08h00

Publicidade

RICARDO FELTRIN
EDITOR E COLUNISTA DO F5

Sim, leitores, o título acima está correto. Em números: de cada 100 TVs por assinatura ligadas no Brasil, mais de 60 sintonizam os canais abertos na maior parte do tempo. O F5 obteve dados inéditos sobre a TV paga. A tabela abaixo lista 10 canais mais vistos na TV "fechada" em agosto, entre 7h e 0h. Agosto é considerado um mês "padrão", pois não tem férias, feriados ou grandes efemérides.

O universo da pesquisa
Foram analisados os oito principais mercados entre os 14 que compõem o Painel Nacional de Televisão (PNT). São esses oito: São Paulo, Rio, Brasília, Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte, Florianópolis e Campinas. Nessa praças o ibope constatou que existem no total 13,9 milhões de domicílios com TV, sendo que 3,9 milhões pagam TV por assinatura. Vamos ao gráfico:

Arte Folha/F5

Quem vê TV
O índice de share mostra que, na média, de cada 100 TVs pagas ligadas em agosto, 37 ficaram na Globo. A Record abocanhou 11 (10,8%). Se forem somados os shares dessas TVs, mais RedeTV!, Gazeta, as TVs abertas públicas e as em UHF, o resultado é que quase 63 em cada 100 TVs pagas passa a maior parte do tempo exibindo programas das TVs abertas.

Divulgação
"O Incrível Mundo de Gumball", do Cartoon
"O Incrível Mundo de Gumball", do Cartoon

Geração F
O público infanto-juvenil também mostra sua força na TV paga, além de ser muito valioso do ponto de vista comercial. Somados, os canais voltados aos fedelhinhos fofos, às crianças marotas e à gurizada espertinha, respectivamente, representam quase 10 em cada 100 TV's ligadas entre 7h e 0h. É um universo consumidor bem relevante.

Ranking de traços
Há outros dados interessantes no estudo, e que não estão na tabela acima. A medição abrange cerca de 100 canais, entre abertos e pagos. Desses, cerca de 40 estão numa faixa que poderia ser classificada de "traço do traço". São canais que registram menos de 0,1% de share (de 0,09% para baixo). Entre eles, a TV Justiça (0,07%) e a TV Senado (0,06%), o VH1 (0,08%) Animax/Sony Spin (0,07%) e o Fox Life (0,05%). O Canal Brasil (não a TV Brasil) marca 0,08%.

Jay Directo/France Presse
Grrrrrrrrrrrrrrrr!
Grrrrrrrrrrrrrrrr!

Canais educativos
Tirando a TV Cultura, incluída na categoria Pública (0,96% de share), o canal "educativo" mais bem colocado é o Discovery (0,54%). Na medição de agosto, o Discovery Channel venceu a encarniçada batalha pelos raros telespectadores pagantes, com quatro décimos a mais que seu insidioso rival, oponente e inimigo... um poderoso monstro que também está salivante e à procura dos suculentos assinantes... o sorrateiro NatGeo!

(nota: façam de conta que é mais um documentário sobre predadores)

Canal Religioso x Canal 'Laico'
Outro dado bastante interessante do estudo (que, não sei se comentei, mas é totalmente exclusivo) é que os católicos venceriam uma hipotética briga de "igrejas" na TV paga hoje. Com 0,32% de share, a modestinha Rede Vida está perto de chegar ao dobro da moderna, rica e abastada Recordnews, de Edir Macedo, que tem 0,18%. Bom, chega desse assunto, vamos falar de mulher bonita...

Leitora (imitando a Christiane Torloni)
Pode começar, bebê...

Divulgação/Ford Models
Modelo Iza Rocche
Modelo Iza Rocche

Iza, a Irmã da Ellen Rocche
Talvez a leitora não saiba. E você, leitor, pode ser que não acredite, mas Ellen Rocche (Globo) tem uma irmã tão bela quanto ela. Juro. Iza Rocche, modelo internacional, está voltando este mês ao mercado norte-americano, por meio da Mega Models Management. Iza deve mudar para Miami, após temporadas na Europa e África do Sul. Ela diz que, ultimamente, vê muito pouco a irmã, que está ocupada no papel da espetacular Valéria, a assistente de Herculano Quintanilha, em "O Astro". Ela afirma que nunca pensou em ser atriz, mas, no futuro, quem sabe?

Veja Iza, a irmãzinha de Ellen Rocche, fazendo dengo, na última sexta, na inauguração da casa Ballroom, em São Paulo.

Vídeo

Leitor Rabugento
Nham! Nham! ehr... digo, Nhé! Nhé!

Divulgação
Inezita Barroso
Inezita Barroso

A Dama do Folclore Musical
Pelo terceiro ano seguido, o programa de Inezita Barroso é o mais visto da TV Cultura. É pouco, é verdade, até dois pontos de média de ibope (cada ponto vale por 58 mil domicílios sintonizados na Grande São Paulo; não confundam com "share", que é a participação de cada TV no total de aparelhos ligados, como contamos nas primeiras notas de hoje). Cantora, violonista e pesquisadora do folclore, a octogenária Inezita também dá ibope para outros canais, como a TV Brasil, que tira uma boa casquinha do "Viola Minha Viola".

Vai bem também
Foram dois anos de trabalho duro, mas, assim como ocorria no SBT, o "Programa do Gugu" agora também já disputa o título de maior ibope de sua nova casa. A média de Gugu está ao redor de 12 pontos e já supera a audiência das atuais novelas da Record.

Interrompemos a coluna para nossa propaganda institucional...
Esta é a nova versão da lendária coluna Ooops! das quintas-feiras, um dos grandes sucessos dos primórdios, quando a internet era movida a óleo diesel, Ooops! agora está de volta. Uma exclusividade F5, o novo site de entretenimento da Folha. Então, siga o F5 no Facebook ou se torne um de nossos fãs no Twitter e... hein? Como? É o contrário? Bah, vocês entenderam, é o que importa...

Divulgação
Danilo Gentili, no "Agora É Tarde". da Band
Danilo Gentili, no "Agora É Tarde". da Band

Não sejam pão-duros
Aparentemente, a Band está pondo o freio nos gastos. A produção do programa "Agora é Tarde" nem pode pagar figurantes para, eventualmente, algum quadro. Quando precisa, a produção se mobiliza na internet, redes sociais etc atrás de gente altruísta e abnegada, disposta a trabalhar sem proventos. Na semana retrasada, por exemplo, o programa precisava de 4 meninas entre 18 e 20 anos, dispostas a passar a manhã do último sábado gravando. Sem cachê, avisava a produção.

Pode, Arnaldo?
No caso dos programas de auditório, como o de Silvio Santos, no SBT, ou o próprio "Agora é Tarde", as colegas de trabalho, a plateia, não ganham cachê. Mas, isso porque não existe a profissão de "plateia" e "colega de auditório" (a propósito, a fila de espera de colegas chega a vários domingos, no caso de Silvio). Já a figuração é uma profissão regulamentada, portanto, paga. Então não pode, Arnaldo.

Falando em Band
Há quem diga que o "escândalo" Rafinha Bastos dentro da Band é muito menor que o que se fala dele fora da emissora. Tipo assim: já que o assunto está bombando, que mal há em jogar um pouco mais de gasolina na fogueira das vaidades?

Incerteza no SBT
Não está correndo muito bem a negociação para a renovação de Celso Portioli no SBT. O apresentador já ganhou muito mais do que atualmente. Ele já teve o salário rebaixado mais de uma vez, e acha que o desprestígio já foi longe demais.

SOOOOOBE!

Aguinaldo Silva

A história da pobretona envergonhada e mal vestida, que ganha na loteria e, depois, aparece de limousine vestindo o mesmo macacão surrado de sempre, foi sensacional. Uma cena que deve ter causado orgamos múltiplos na classe C. É preciso reverenciar o talento do temperamental Aguinaldo Silva.

DEEEEESCE!

"A Fazenda"

Sim, é fato, ainda é um programa estupidamente rentável, mas não só seu ibope é cada vez menor na TV, como também já não é mais aqueeeeele fenômeno estrondoso, tectônico, minha nossa, que bomba etc como ocorria antigamente, na internet. A quarta edição de "A Fazenda" teve uma audiência várias vezes sofrível, o que deveria servir de alerta não só para a Record na próxima, em 2012, mas também para a Globo e seu "BBB 12"

Até a semana que vem...
...porque hoje a coluna acabou.

Leitor bacana pergunta...
E os patos? Tenho sentido falta deles!

Leitora bonitona concorda...
Own! São tão amarelinhos! Cadê?

Criancinhas insolentes cobram..
Fala onde está a pataiada, cabeção?

Leitor Rabugento
Jura que a chefia está ciente que você publica tanta bobagem?

Agradecimentos finais

A Marcelo Katsuki, pelas animações, e a Paulo Crumbim por reformatá-las.

A Vitor Moreno, por sempre achar erros de digitação antes da publicação.

Às fontes, que ajudam a fazer a coluna e não podem ser identificadas.

Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin, 51, é colunista do "F5", site de entretenimento da Folha, e também colunista do UOL, onde apresenta o programa "Ooops!" às terças. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros.

  • Últimas notícias 
  •  

gostou? leia também

  •  

resumo das novelas

Siga agora o F5 no Twitter

Publicidade

Livraria da Folha