Ricardo Feltrin

Jornais da Globo e Band perdem ibope em 2014; Record, SBT e RedeTV! crescem

Uma questão para os nossos analistas esportivos e suas acaloraaaaaadas mesas-redondas futebolísticas: como produto e fonte de lucro, o futebol tem um futuro promissor na TV aberta?

A resposta desta coluna, pelo menos, é: duvideodó. E a dúvida é instada pelos números obtidos com exclusividade pelo F5 a respeito do que ocorreu com o ibope de telejornais nas maiores emissoras abertas este ano, em que ocorreu no Brasil a Copa do Mundo. Ei, gostaram do "instada"?

ENQUETE - Quem matou Bruno de "O Rebu"? Escolha o seu suspeito

VEJA BEM, JÔ...

Segundo os dados consolidados em rede nacional pelo Ibope (ou seja, nas principais regiões do Brasil), somente os telejornais da Globo e da Band, as únicas emissoras abertas que tiveram direitos de exibição dos jogos da Copa, perderam audiência de janeiro a julho, na comparação com o mesmo período no ano passado. E a queda das duas TVs foi a mesma: 11%.


ENQUANTO ISSO...

Record, SBT e RedeTV! registraram subida em seus principais produtos telejornalísticos. O "Cidade Alerta", da Record, cresceu 27%; o "Jornal da Record" subiu 12% (de 5,8 para 6,5 pontos). O "SBT Brasil" também cresceu, embora modestos 5% (4,7 para 5,0). Modesta, até a RedeTV! oscilou 2% para cima.

ENQUANTO O QUÊ?

Mas no mesmo período o "Jornal Nacional" perdeu quase 3 pontos da média de seus 29,2 pontos registrados no ano passado. O "Brasil Urgente" caiu 15% e o "Jornal da Band" caiu 11%. Em termos nacionais, são milhões de telespectadores que não estavam mais na TV aberta porque acompanhavam tudo ou nas concorrentes, ou na TV paga, ou nos jornais ou na minha, na sua, na nooooooooossa internet.

VAZÃO MAIOR QUE A ENTRADA

Cabe observar que nos meses de maio, junho e julho, a Globo e a Band até tiveram algum incremento no ibope de seus telejornais na comparação com 2013, uma vez que podiam deitar e rolar na cobertura da Copa, e fazer entrevistas e coberturas onde as concorrentes só podiam ficar do lado de fora fazendo beicinho. Mesmo assim não foi o suficiente para garantir a audiência do "semestre da Copa".

FENÔMENO

Acontece que o custo de se exibir uma Copa do Mundo ou mesmo de ter a exclusividade de um Campeonato Brasileiro rapidamente estão se tornando proibitivos para quem exige que todo produto tem que dar lucro em primeiro lugar e lucro em segundo lugar. Isso pode ser uma das explicações para a crescente "flexibilização" da Globo ao repartir seus direitos com a amiga Band. A emissora líder já teve parcerias com a RedeTV! e estudou até fazer uma maior com o SBT. Somente a Record andou fora das negociações, desde a guerra iniciada anos atrás pela segunda, que lutou pelos direitos exclusivos do Brasileirão.

LEMBRA?

A Record jogou tão pesado contra a emissora, a CBF e o finado Clube dos 13 (que Deus não o tenha) que a Globo teve de fazer um acordo inflacionado com os clubes. Acordo um a um. Diz a lenda, por causa da Record a Globo teve um gasto extra estimado entre R$ 700 milhões e R$ 1 bilhão por dois ou três anos de exclusividade.

RONALDO...

Justo dizer que patrocinadores oficiais como bancos e refrigerantes ainda são uma montanha de dinheiro para o futebol, mas, mesmo assim, além de ter de repassar centenas de milhões aos clubes, a Globo tem gastos fabulosos com cada jogo: milhares de quilômetros de cabos, fibras, custo de satélites, dezenas de câmeras de última geração, profissionais gabaritados porém caríssimos, diárias de hotel, comidinhas finas e o xarope de gargarejo do Galvão, para ficar só nos gastos imprescindíveis. Noves fora, o lucro da Globo despenca nos últimos dez anos, embora ainda seja lucro. A propósito, tal queda é acompanhada pela decrescente presença do público diante da TV aberta durante as partidas –e a cobertura dos telejornais.

QUEM AGUENTA...

Ainda não é possível cravar, mas o mesmo fenômeno parece estar ocorrendo também com a TV paga. Há uma penca da emissoras esportivas –SporTV 1, 2, 3, 4, 693, 694, BandSports, ESPN, ESPN Brasil, Fox Sports 1,2–, mas, se fizermos na ponta do lápis, a audiência de tudo isso, mesmo em ano de Copa do Mundo, não chega a igualar ao público de canais infantis. Nem vamos mencionar os religiosos.

SAÍDAS

Vale ressaltar, pelo outro lado, que o preço das cotas de patrocínio do futebol nos últimos dez anos estão subindo proporcionalmente de forma inversa à audiência. Quanto mais cai o ibope do futebol, mais caras ficam as cotas. Não me venham falar em lógica, razão ou Lei da Oferta e da Demanda nesse caso, portanto.

PULANDO DO BARCO

Falando em futebol, esta é a última semana do apresentador Rodrigo Rodrigues na ESPN Brasil. Músico, empresário, escritor, apresentador e um pouco metidinho, Rodrigo pediu demissão da ESPN, onde apresentava um "Bate-Bola" noturno. "Não tenho mais condições de fazer um programa diário", diz o jornalista, que também ganha tubos, rios, cataratas de dinheiro com a banda Soudtrackers, especializada em músicas de cinema (embora eles não gostem de tocar o belo tema de "Karatê Kid", humpf!). A banda também tem um bar temático em Pinheiros. E Rodrigo ainda escreve. Já lançou anos atrás um livro sobre a banda Blitz e agora no próximo dia 8 lança um livro com dicas de passeios em Londres.

Crédito: Amanda Louzada/Divulgação O jornalista e músico Rodrigo Rodrigues
O jornalista e músico Rodrigo Rodrigues

RUN, BABY, RUN!

Onde ir em Londres é algo que este colunista não tem estofo para escrever, mas certamente pode aconselhar todos os leitores ao que NÃO fazer nessa cidade: JAMAIS, amigos, JAMAIS levem amendoins para os esquilos no Hide Park no inverno. Vão por mim, crianças. Esses pequenos mamíferos da família Sciuridae são extremamente impacientes e agressivos nessa época com turistas que, generosamente, no verão, lhes serviram amendoins e castanhas na boquinha. No inverno essas pragas rabudas avançam e mordem. Eu, por exemplo, após ser encurralado por uma gangue, atirei o saco de peanuts no macho alfa mais gordo e violento e corri. E como corri.

NUNCA MAIS, PESTES!

Há um limite muito tênue entre o fofo e o ingrato.

ORWELL

Demorou 65 anos para o livro lançado em 1949 por Georginho Orwell se tornar realidade no horário eleitoral e, em especial, em São Paulo. Com rufar de tambores, o governo paulista (e candidato a reeleição) anuncia que, ainda este ano, todas as câmeras de vídeo públicas instaladas no Estado estarão conectadas a uma certa central (Detecta). Em pelo menos cinco ou sete anos, acredita-se, todo o país, incluindo câmeras de apartamentos e outras propriedades privadas estarão conectadas num "só coração, todas na mesma emoção": perseguir bandidos e também inocentes e saber cada um de seus passos em suas vidas privadas. Disse passos, porque cliques e telefonemas até o Obama já sabe.

INFORMAÇÕES RELEVANTES

Uuuuuh! Com essa rede de câmeras, os governos e bisbilhoteiros da vida alheia poderão saber com certeza quem trai a mulher, quem recebeu troco a menos no boteco, quem saiu com uma garota "suspeita", quem fuma um baseado e quem gastou um pouco mais no bourbon no mês passado. Epa! Como você viu que eu comprei bourbon e não um malte 18 anos? Uuuuuuuuuh!

TODOS JUNTOS AGORA

Conforme esta coluna antecipou mais de um ano atrás, o bispo Macedo cada vez mais aceita o gospel em seu coração, mas ainda hesita em transformá-lo em dinheiro. No Templo Universal de Salomão, esta semana, Macedo até acompanhou o público em uma canção gospel. E ele é até afinadinho, acreditam?

CURIOSAMENTE...

O bispo ainda reluta em lucrar com a música. Além de ter praticamente fechado sua gravadora gospel e dispensado todos os artistas, o produto menos encontrável no site de vendas Arca Center, da igreja, é um CD de música gospel. Agora, canequinha e camiseta da "Caminhada do Amor" e do "Casamento Blindado" (a nova moda do pedaço), tem de montão.

A SABER

Procurado para a próxima edição da "Fazenda", Oscar "Bahamas" Maroni garantiu à Record que não fez nenhum registro de candidatura e que pode, sim, integrar o reality que será anunciado com pompa e circunstância no próximo dia 10 na Barra Funda.

NUNCA ENTENDI...

...a tal "circunstância" que consta nessa expressão.

ARA...

Os fãs do Discovery Channel choramingam após desagradável surpresa exibida esta semana, mas já conhecida dos fãs havia mais de um ano: acabou a dupla do original da franquia "Desafio em Dose Dupla", reality que mostra dois especialistas vivendo nas piores condições, atravessando regiões ermas, florestas densas e locais povoados por animais e insetos peçonhentos. Depois que Dave Canterbury saiu, no ano passado, seu amigo fofo, Cody, especialista em viver descalço, recebeu um novo parceiro, Joe. Não aguentou o mala nem sequer por uma temporada. Chato de Galochas Joe arrumou tanta encrenca que fez Cody perder a cabeça e quase lhe atirar uma mochila na moleira. Cody pediu o boné e deixou o programa para Joe "Mala" e seu futuro cônjuge florestal.

EBA!

Já a nova temporada da versão brasileira de "Desafio" continua ótima com o "bicho-grilo riponga" Léo e o tenso e impaciente coronel Leite. Coronel Leite lembra meu pai rabugento.

PEQUENO FRASCO, GRANDE PERFUME

A melhor coisa dos canais Globosat é a Tatá Werneck. Ela é uma graça e é baixinha. Um verdadeiro petisco.

:-P

UUUUUUUH!

Como o F5 pode ter um colunista tão chauvinista!!! Uuuuuuuh! Porque nenhum veículo devia publicar nada negativo sobre a nova geração de humoristas! Uuuuuuuuh! Todos são ótimos! Uuuuuuh! Porque se eu fosse o editor Sandro do F5 cortava a cabeça do Feltrin na guilhotina e comia com brioches, e ainda convidava a Tatá Antonieta. Oooooowwwn, falando em Tatá! Tatááááá! <3
NOTA DO EDITOR - Se Tatá Werneck aceitar ser colaboradora, o editor comprará o machado para que ela mesmo dê cabo do colunista


SOOOOOOOOOOBE!

Música na TV aberta

É notável a vertiginosa melhoria, e cada dia mais, da sonoplastia nas TVs aberta e fechada. No caso da fechada já falamos aqui no ótimo canal Bis, da Globosat, dias atrás, e do espetáculo que foi o áudio da Copa. No caso das TVs abertas, a transmissão de apresentações de músicos e bandas em programas como "Encontro com Fátima", "Jô" (Globo), "The Noite" (SBT), "Agora é Tarde" (Band) tem surpreendido até o ouvido mais ranheta, em termos de qualidade. A música às vezes até pode ser ruim, mas nunca se ouviu tanto baixo e contrabaixo acústico com tanta beleza e nitidez como nos últimos tempos.

Agora, em termos de som cristalino, o canal que mais impressiona hoje, justiça seja feita, é a modesta TV Gazeta. É absolutamente incrível, quase inacreditável o equilíbrio atingido pela música exibida ultimamente dos estúdios da Paulista. O pessoal do programa "Todo Seu", principalmente, está realmente de parabéns. Pode ser um cara sozinho ao piano, pode ser uma banda de jazz fusion, pode ser um grupo megavocal feminino com quarteto de cordas ao fundo, que o telespectador da Gazeta vai ouvir o som mais perfeito do mundo. E não é playback, hein? Isso prova que nem sempre estar na vanguarda da tecnologia digital é a única condição para ser o melhor. O que a Gazeta tem de melhor são os ouvidos humanos atrás da mesa de som.

DEEEEEEEEEESCE!

Apelação tem limite

Na última terça-feira, a Band exibiu mais de 20 vezes (isso mesmo), em sequência, a mesma cena de agressão em que um troglodita de quinta categoria agride uma mulher com uma cotovelada e lhe põe a nocaute em uma rua do interior de São Paulo. Até o momento destas maltraçadas, a mulher ainda estava internada, graças a Deus em situação de progressiva melhora. Enquanto o âncora-substituto de Datena repetia as mesmas (faltas de novas) informações sem parar, a imagem mostrava sem respiro os mesmíssimos segundos da agressão. 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8... Sem parar, sem parar, sem parar, sem parar, sem parar. Chocante. Não tem assunto? Chama o break e faz propaganda da grade, minha gente.

[an error occurred while processing this directive]
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias