Publicidade

SBT deve atrasar "Chiquititas" e estreia fica para julho

05/04/2013 - 06h05

Publicidade

DE SÃO PAULO

Elenco grande demais, crianças demais, cenários demais. Tudo isso conspira para que a estreia da novelinha "Chiquititas" não ocorra mais na segunda quinzena de junho, como programava o SBT. A trama infantojuvenil só deve entrar em cartaz no comecinho de julho. Para a emissora, não é uma má notícia, pois coincidirá com o início das férias escolares...

ELENCO MALHANDO

Esta semana ficou pronto o cenário do orfanato onde se passa parte da novelinha. Imediatamente as crianças e atores adultos foram convocados e as gravações já começaram.

Lourival Ribeiro/SBT
Íris Abravanel (vermelho) e Reynaldo Boury (esq.), com os atores Guilherme Boury, Manuela do Monte e Lisandra Parede
Íris Abravanel (vermelho) e Reynaldo Boury (esq.), com os atores Guilherme Boury, Manuela do Monte e Lisandra Parede

VOCÊ, LEITOR...

Até hoje este colunista não entende a ira com que alguns leitores se envolvem só porque esta coluna chama "Carrossel" e "Chiquititas" de "novelinhas". Muitos adeptos das teorias de conspiração dizem que é uma forma velada de difamar o produto do SBT. Que nós, colunistas, não tratamos assim a produção de outros canais. Ora, ora ora, como diria o amigo Godoy: afinal, são novelinhas, destinadas ao público mirim. Portanto, não se irritem com isso, leitores fãs do SBT... É novelinha, novelinha, novelinha, novelinha... e sempre será. O dia que a Globo fizer uma novelinha, vamos chamá-la assim também, ok?

POR OUTRO LADO...

O SBT retomou aquela irritante ação publicitária --já criticada em todos os meios possíveis e imagináveis-- que tira da tela a imagem de qualquer programa que estiver sendo exibido, mantém o áudio e cobre a tela com uma propaganda que dura segundos, de algum produto da Jequiti --empresa de cosméticos do grupo Silvio Santos. O telespectador primeiro leva um susto: tipo, que raios esse creme esfoliante tem a ver com o seriado "As Visões da Raven"? Então, se irrita ao perceber que tudo não passou de uma ação publicitária desastrada.

CONAR LIBEROU

O SBT tinha parado com essa ação incômoda (para não dizer insana). Agora, voltou com tudo. Consultado em outras eras, o Conar (Conselho Nacional de Autorregulação Publicitária) declarou que a ação não é irregular. Havia telespectadores se queixando que seria uma campanha "subliminar", algo que é proibido em todo o mundo. Para o Conar, não é. Para nós, é apenas mau gosto.

OH, NÃO! DE NOVO ESSA LADAINHA?

Pela 1.967.487ª vez na história da Globo, a vilã de uma novela --no caso Paloma Bernardi, a vilã Rosângela de "Salve Jorge"-- afirma a jornalistas que está sendo ofendida e maltratada nas ruas, por pessoas que a confundem com a personagem. Minha gente, embora a intenção de tais declarações (Paloma é só mais uma) seja um autoelogio oculto, do tipo "olha, gente, como estou trabalhando bem!", no fundo declarações como essa são apenas o maior monólogo flácido para adormecer bovino. Dizer isso equivale a chamar o telespectador de burro, de imbecil, de que ele não consegue diferenciar a fantasia da novela das 21h (e ainda por cima da Gloria Perez!) com a realidade cotidiana. Faça-me o favor. Pelo menos Paloma ainda não chegou a fazer como outros vilões, que disseram ter sido até agredidos nas ruas e supermercados... tenha a santa paciência mesmo...

MAIS DO MESMO. OU SEJA, NADA

A partir do lançamento das novas (sic) programações da TV aberta brasileira na semana passada, só um comentário: OREMOS. Nada de novo, nada de inovador, nada de interessante. É mais do mesmo. Que, por sinal, já é bem fraquinho.

O NÚMERO

Já são seis dias que os telejornais da Record NÃO fazem uma longa reportagem sobre o lançamento do último livro de Edir Macedo, como direito a sessão de autógrafos sem a presença dele. Vocês recordianos estão vacilando, hein? Hein? Galera, assim não dá! Desse jeito cabeças vão rolar... Brincadeirinha, brincadeirinhaaaaaaa...

*

SOOOOOOBE!

"Agora É Tarde", com Danilo Gentili

Para quem faz um talk show diário numa emissora como a Band, a produção e a performance de Gentili são realmente elogiáveis. E ele conseguiu se separar de praticamente todos os programas semelhantes. É um talk show, mas tem palhaçada, humor... O próprio entrevistador não se levar muito a sério é talvez sua maior qualidade. Agora, há uma falta crônica de entrevistados realmente interessantes. E Gentili praticamente já esgotou o elenco da casa.

DEEEEEEEESCE!

TV paga nas madrugadas

Infeliz do insone que tenta de forma vã passar o tempo e assistir a algum programa de qualidade nas madrugadas, na TV paga. O pobre coitado tem duas opções: um show de peladas, já que uma parte dos canais ditos "sérios" se transmutam em canais eróticos durante a madrugada, ou dar lances por joias e relógios de design e gosto --para dizer o mínimo-- duvidoso nos programas de leilões.

Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin, 51, é colunista do "F5", site de entretenimento da Folha, e também colunista do UOL, onde apresenta o programa "Ooops!" às terças. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros.

  • Últimas notícias 
  •  

Publicidade

Publicidade

gostou? leia também

  •  

Publicidade

Siga agora o F5 no Twitter

Livraria da Folha