Renato Kramer

SBT reprisa entrevista de Cristiano Araújo no 'The Noite'; assista

"Comecei com 9 anos de idade, estou com 29 —já tenho 20 anos de carreira!" declarou, em entrevista dada ao "The Noite" (SBT) em 23 de abril de 2015, o cantor sertanejo que faleceu precocemente num acidente de carro na última quarta-feira (24).

A entrevista foi reprisada na noite de quarta-feira. No Twitter, o apresentador Danilo Gentili lamentou a morte do sertanejo, que classificou como "gente fina e humilde". Segundo Gentili, foi a última entrevista de Araújo exibida na TV.

"Eu comecei muito cedo graças ao meu pai, à minha família que sempre me incentivou. Meu pai é um cara que participou muito da música sertaneja. Ele tinha um barzinho em Goiânia onde cantavam Leandro e Leonardo, e Bruno e Marrone abriam o show deles", contou Cristiano.


"Com 3 anos ele já me levava ao barzinho para assistir a Leandro e Leonardo e Bruno e Marrone —então o que não faltou foi inspiração para que eu me tornasse um cantor sertanejo", contou.

"Seu pai é um herói da sua carreira, acreditou em você", observou Danilo. "Acreditou mesmo. É o famoso testa de ferro, não é?! Tenho certeza que se não fosse ele eu não estaria aqui", retrucou Araújo. Gentili chama a atenção para a timidez do cantor e questiona como ele fazia para realizar os shows quando mais jovem.

"Eu era bem mais 'vergonhoso' (sic)", confessou Cristiano. "Eu tinha um segredo quando eu era criança: eu só cantava olhando para onde meu pai estava. Aí, pra não ficar esquisito, meu pai começou a ficar andando no meio do povo. Diziam: esse menino é bom de palco. Que nada, eu estava era olhando para o meu pai ali", relata simpaticamente.

Pelo contato desde o barzinho do pai, Cristiano revela que ficou amigo dos ídolos. "O Marrone é um grande conselheiro da minha carreira. Ele é meu sócio em uma casa noturna de Goiânia."


O cantor então revelou um outro "talento": as imitações, que ele usa para brincar com amigos.

Cristiano escolheu o colega Eduardo Costa para começar e o imitou com perfeição. "Me perdoe, Eduardo Costa, pelo amor de Deus!", brincou Cristiano Araújo, muito aplaudido. Na sequência, Luan Santana.

"E tem o Jorge, do Jorge e Matheus, que ele faz com a perninha assim, oh", se anima Cristiano, já se levantando para mostrar. "São todos inspirações para mim, principalmente o Luan. Na época que eu separei da minha dupla, fui em um show dele pela primeira vez, lá em Rondonópolis, no Mato Grosso. Fiquei impressionado com o show e pensei: acho que eu posso também cantar sozinho", revelou.

Em um show em Aracaju na noite desta quarta-feira, Luan Santana homenageou o cantor e chorou, emocionado, falando sobre sua morte.

Para encerrar, Cristiano Araújo cantou dois sucessos do seu DVD "In The Cities": "É Com Ela que Eu Estou" (que tem mais de 30 milhões de 'views' no youtube) e "Hoje Eu Tô Terrível".

Terrível foi a notícia que acordou o Brasil nesta quarta-feira, com a tragédia que ceifou a vida de um dos novos e mais promissores ídolos da música sertaneja e de sua namorada, a jovem Allana Moraes. Descansem em paz.

Renato Kramer

Natural de Porto Alegre, Renato Kramer formou-se em Estudos Sociais pela PUC/RS. Começou a fazer teatro ainda no sul. Em São Paulo, formou-se como ator na Escola de Arte Dramática (USP). Escreveu, dirigiu e atuou em diversos espetáculos teatrais. Já assinou a coluna "Antena", na "Contigo!", e fez críticas teatrais para o "Jornal da Tarde" e para a rádio Eldorado AM. Na Folha, colaborou com a "Ilustrada" antes de se tornar colunista do site "F5"

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem