Renato Kramer

Com 'coração tranquilo', Roberto Carlos realiza sonho de turnê em Las Vegas

"Quando eu estou aqui eu vivo esse momento lindo". Foi com "Emoções" que o maior ídolo pop brasileiro começou o seu primeiro show em Las Vegas, mostrado em flashes neste domingo (7) no "Fantástico" (Globo).

Renata Ceribelli foi quem o entrevistou: "Las Vegas – um sonho antigo?", perguntou.

"Acho que [é] um sonho de todo artista", respondeu Roberto Carlos. Na locução, Ceribelli anuncia que a cidade, que já recebeu ícones da música como Frank Sinatra, U2 e Elton John, agora abre suas portas para o "rei", que subiu ao palco pela primeira vez em Las Vegas (EUA) neste sábado (6).

"Esse Cara Sou Eu", aparece Roberto, cantando em seu indefectível terno branco. "Dá assim aquela ansiedade de um desafio novo?", pergunta Ceribelli. "Dá um pouco, sim. Dá, dá...eu tô nervoso, sim", confessa Roberto. "Quando eu entro no palco, aí tudo se acalma", acrescenta.

A repórter comenta sobre Roberto cantar em quatro línguas: italiano, espanhol, português e inglês. "Ese Tipo Soy Yo", canta Roberto no telão, versão para o espanhol de "Esse Cara Sou Eu". "Na verdade em espanhol eu já venho cantando há bastante tempo. Em italiano...". E ouve-se um trecho da bela "Canzone Per Te" (Sergio Endrigo/Sergio Bardotti), com a qual Roberto venceu o Festival de San Remo em 1968. "E em inglês eu tenho cantado algumas canções, eu gosto muito de cantar em inglês", afirma Roberto enquanto toca ao fundo "Breakfast" (versão de "Café da Manhã").

Ceribelli lembra que o cantor vai se apresentar em 16 cidades nesta turnê internacional. Já foram sete no México, serão oito nos Estados Unidos e mais uma no Canadá. "É pique de quem está em início de carreira, né? É isso que te move? Que pique é esse?", quis saber a repórter. "Eu acho que a gente tem que pensar que está sempre começando", afirma Roberto, "Eu não fico cansado".


O eterno rei da música brasileira tem uma grande e fiel legião de fãs. Alguns o acompanham até mesmo nas turnês internacionais. Estima-se que mais de 2.000 brasileiros foram para Las Vegas especialmente para assistir ao show. "Isso sem falar nos que moram nos Estados Unidos e que invadiram Las Vegas para seguir o rei", comenta Ceribelli.

"Aonde você vai tem as suas fãs te seguindo. Você conhece essas pessoas?", pergunta Renata. "Algumas, sim... algumas conheço, sim", assegura Roberto. "São fãs que vão a quase todos os meus shows. Eu agradeço a elas por esse amor maravilhoso. E eu amo todas elas!", declara.

"E falando em amor, como é que está o coração do rei?", pergunta com curiosidade Ceribelli. "Tá bom, tá calmo, tá tranquilo", responde Roberto com sorriso matreiro. "Apaixonado?", insiste a jornalista. "É... eu acho que estou sempre apaixonado", sai Roberto pela tangente. "Mas tem uma paixão?", não desiste a repórter. "Não, em especial nesse exato momento não, mas...", deixa em aberto o cantor. "Você está sempre pronto para se apaixonar", sugere Ceribelli. "É, eu não tenho nada contra!", retruca Roberto com bom humor.

"Se você pudesse escolher uma música para traduzir o momento da sua vida hoje, que música você escolheria?", pergunta Renata Ceribelli para encerrar. "Emoções", responde o Rei sem titubear, "Emoções fala de tudo".

No palco, em Las Vegas, com toda a pompa e circunstância a que faz jus o maior ídolo popular brasileiro de todos os tempos, Roberto Carlos canta: "Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi".

Renato Kramer

Natural de Porto Alegre, Renato Kramer formou-se em Estudos Sociais pela PUC/RS. Começou a fazer teatro ainda no sul. Em São Paulo, formou-se como ator na Escola de Arte Dramática (USP). Escreveu, dirigiu e atuou em diversos espetáculos teatrais. Já assinou a coluna "Antena", na "Contigo!", e fez críticas teatrais para o "Jornal da Tarde" e para a rádio Eldorado AM. Na Folha, colaborou com a "Ilustrada" antes de se tornar colunista do site "F5"

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias