Publicidade

Gabriela Duarte emociona em peça baseada em filme clássico de Ingmar Bergman

06/09/2014 - 11h05

Publicidade

Entrou em cartaz nesta sexta-feira (5) no Teatro Anchieta (SP) a peça "Através de Um Espelho", baseada no filme homônimo do talentoso cineasta sueco Ingmar Bergman.

Karin (Gabriela Duarte) acaba de voltar de uma temporada em um hospital psiquiátrico e tenta retomar a sua vida passando férias em uma ilha junto aos homens de sua vida: o dedicado marido Martin (Marcos Suchara), o inquieto irmão Max (Lucas Lentini) e David (Nelson Baskerville), o pai escritor distante e arredio.

Mas nada volta a ser como antes. Aos poucos os conflitos internos de Karin vão fugindo ao seu controle e a sua esquizofrenia – doença que segundo seu pai foi a causa da morte de sua mãe, começa a tomar conta. Martin sofre por não poder ajudá-la de verdade, Max fica perturbado com a doença da irmã, mas não dá conta nem de seus próprios problemas e David se sente culpado por ter andado ausente e observar friamente o declínio da própria filha.

Amor, vida, morte, solidão e o que exatamente estamos fazendo aqui são alguns dos questionamentos levantados no desenrolar do texto denso e intenso que sempre caracterizou a obra de Begman e que foi mantido na versão teatral de Jenny Worton. O espetáculo brasileiro conta com a tradução de Yara Nagel, a adaptação de Marcos Daud e a dramaturgia de Valderez Cardoso Gomes.

Gabriela Duarte chega de mansinho e pouco a pouco vai envolvendo o espectador na trajetória de sua Karin e, quando se dá conta, já está completamente enredado em seu drama pessoal. E compartilha de suas angústias e de seu sofrimento. A atriz consegue passar brilhantemente da leveza à tragicidade de sua personagem, numa grande entrega emocional.

Marcos Suchara passa com clareza o sentimento de impotência do marido que ama a sua mulher e não pode fazer nada para evitar o seu sofrimento. Lucas Lentini mostra garra e uma grande energia ao interpretar o jovem irmão de Karin, com quem tem uma relação tão próxima quanto complexa. Lentini acerta em cheio ao tentar esconder uma grande atração sexual que sente pela irmã, tanto quanto a frustração que carrega por sentir-se abandonado pelo pai.

E o pai é vivido numa excelente performance de Nelson Baskerville. Com domínio total de cena, o ator consegue demonstrar todo o universo de emoções que carrega por detrás de uma máscara de fortaleza: o medo de ver a filha sucumbir à mesma doença da mãe, a dificuldade em lidar com um filho quase desconhecido – ao mesmo tempo que tenta racionalizar o amor que sente por ambos, exorcizando tudo isso em seu trabalho como escritor.

A direção mágica de Ulysses Cruz valoriza o espetáculo como um todo, tanto quanto a bela cenografia de Lu Bueno e o desenho de luz de Domingos Quintiliano. A sensibilidade da trilha original de Daniel Maia arremata com chave de ouro o conjunto da obra.

"Através de Um Espelho" ficará em cartaz no SESC Consolação (Teatro Anchieta) apenas até 4 de outubro. Teatro com conteúdo, com qualidade. Teatro com arte.

Renato Kramer

Natural de Porto Alegre, Renato Kramer formou-se em Estudos Sociais pela PUC/RS. Começou a fazer teatro ainda no sul. Veio para São Paulo e ingressou na Escola de Arte Dramática (USP), formando-se ator. Escreveu, dirigiu e atuou em diversos espetáculos teatrais. Fez algumas colaborações para a Ilustrada e, sempre a convite, assinou a coluna Antena, da "Contigo". Nesse meio tempo, fez crítica de teatro para o "Jornal da Tarde" e na rádio Eldorado AM. Mais recentemente foi colunista da Folha.com, comentando o BBB11. Atualmente, além de atuar, cursa Filosofia.

  • Últimas notícias 
  •  

Publicidade

Publicidade

gostou? leia também

  •  

Publicidade

Siga agora o F5 no Twitter

Livraria da Folha