Celebridades

Acusado de golpe, automobilista do Lata Velha diz que atleta não pagou conserto

Tarso Marques e jogador Welliton travam embate após reforma de carro

O automobilista que trabalha na Globo Tarso Marques
O automobilista que trabalha na Globo Tarso Marques - Reprodução/@tarsomarquesoficial
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Conhecido do quadro Lata Velha, do Caldeirão do Hulk, e do programa Auto Esporte, ambos da Globo, o automobilista Tarso Marques tem sido acusado de golpe pelo jogador Welliton, atualmente em um time dos Emirados Árabes.

De acordo com o site Metrópoles, Thiago Simão, empresário do atleta, alega que um carro avaliado em R$ 1 milhão teria sido deixado para reparo na oficina de Tarso em São Paulo.

Porém, segundo ele, o valor cobrado teria sido em dólar, no equivalente a quase R$ 600 mil. Dessa forma, teriam se negado a quitar o valor por achar exorbitante e injusto.

O empresário revela que não assinou nenhum compromisso que autorizasse a compra de peças nos Estados Unidos.

Procurado, o jogador e sua equipe não responderam as solicitações. Já Tarso se defende das acusações e diz desconhecer qualquer acusação formal do jogador.

Na versão dele, o rapaz contratou um serviço de customização num veiculo que vale menos de R$ 300 mil e não R$ 1 milhão como relatado pelo empresário.

“Ele não pagou nem a primeira parcela do orçamento. O carro ficou em execução por quase um ano e como o mesmo alegava que iria pagar e não o fazia, o trabalho ficou suspenso”, revela Marques.

A partir de agora, diz ele, o assunto está sendo tratado pelo seu departamento jurídico. “O representante dele propôs, poucos dias atras, pagar um terço do serviço já realizado o que não foi aceito”, revela.

O profissional afirma que o carro permanece disponível e que basta o atleta honrar o compromisso financeiro para levá-lo embora.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem