Celebridades

Empresa acusa Kanye West de roubar sua tecnologia e pede US$ 20 milhões

Representantes alegam que cantor se aproveitou da empresa para promover sua marca

Kanye West
Kanye West - Jean-Baptiste Lacroix - 09.02.2020/AFP
São Paulo

Kanye West, 43, está sendo processado pela empresa MyChannel Inc por supostamente ter "roubado" sua tecnologia e serviços após uma parceria de seis meses, que nunca foi paga.

De acordo com o portal TMZ, o acusante alega que West "aproveitou a vantagem de uma empresa de tecnologia para promover sua marca Yeezy e lançar seu popular grupo Sunday Service, e então os deixou de lado".

Os representantes da empresa afirmam que fizeram um acordo em 2018 no valor de US$ 10 milhões (R$ 55,9 milhões) para ajudar a maximizar as receitas da Yeezy, e que "West conseguiu que funcionários da empresa trabalhassem por cerca de 10 mil horas para ele, por seis meses, com base em uma série de promessas de negócios –incluindo um investimento futuro de US $ 10 milhões".

A empresa teria inclusive mudado sua sede duas vezes, para Calabasas e depois para Chicago,a fim de agradar West e fazer a parceria funcionar.

Porém, após esse período, os representantes afirmaram ter ficado claro que Kanye não cumpriria com a promessa e que o rapper encerrou as relações com a empresa, mas continuou usando a tecnologia desenvolvida especialmente para o Sunday Service. A MyChannel pede US$ 20 milhões (R$ 111,9 milhões) por danos.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem