Celebridades

Cristiano Ronaldo sai para fazer compras em meio a pandemia de coronavírus e web crítica

Jogador havia se refugiado em prédio de luxo na Ilha da Madeira

Cristiano Ronaldo em Funchal
Cristiano Ronaldo em Funchal - AFP
São Paulo

Cristiano Ronaldo, 35, optou por não seguir as recomendações de permanecer em casa e saiu para fazer compras nos últimos dias com sua mulher, Georgina Rodríguez, em meio à pandemia de coronavírus.

O jogador de futebol do clube italiano Juventus refugiou-se com sua família em um apartamento luxuoso em Funchal, na Ilha da Madeira, após seu companheiro de equipe Rugani revelar ter resultado positivo para o coronavírus,

A atitude de não regressar à Itália já era criticada pelos italianos, segundo o jornal El País, mas nos últimos dias as reações aumentaram, após Cristiano Ronaldo ter sido fotografado fazendo compras em Funchal, enquanto os portugueses pedem para que todos procurem ficar em quarentena.

A soma de fatores fez com que o jogador fosse criticado nas redes sociais por internautas que consideram a atitude pouco favorável no momento que estão vivendo, e até um certo exibicionismo de sua situação privilegiada.

Em sua última publicação no Instagram, Cristiano Ronaldo recebeu comentários sobre sua atitude, uma vez que ele havia pregado o completo oposto:

“O mundo está passando por um momento difícil que exige nosso maior cuidado e atenção. Hoje não falo como jogador de futebol, mas como filho, pai e ser humano, ciente dos eventos que estão afetando a todos. É importante que todos sigamos os avisos da OMS e das autoridades que lidam com essa situação. Proteger a vida humana está acima de outros interesses”, afirmou ele na legenda da publicação, elogiando as ações dos médicos e funcionários de saúde.

Desde então, o jogador não fez novas publicações nas redes sociais. Veículos de informação do meio esportivo afirmam que ele desaprova a forma como sua equipe italiana administrou a crise de saúde, segundo o El País.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem