Celebridades

Kanye West diz que Deus apoia T.I., rapper criticado por checar virgindade da filha

'Estão tentando brincar com T.I., mas ele está falando sobre algo que é aprovado por Deus'

O rapper Kanye West no WSJ Magazine 2019 Innovator Awards
O rapper Kanye West no WSJ Magazine 2019 Innovator Awards - Angela Weiss / AFP
São Paulo

Kanye West, 42, citou o rapper T.I. no último domingo (29) durante um sermão que fez no centro de Los Angeles, dentro do abrigo para sem-tetos Union Rescue Mission.

Segundo um vídeo publicado pelo portal norte-americano TMZ, enquanto falava sobre as pessoas misturarem as "coisas que são aprovadas por Deus e coisas aprovadas pelo diabo", West fez uma menção a T.I., que se envolveu em um escândalo recentemente por revelar que força sua filha de 18 anos a fazer um "exame de virgindade" anual no ginecologista.

“Você pode estar falando sobre algo que é aprovado por Deus… Eles estão tentando brincar com T.I., mas ele está falando sobre algo que é aprovado por Deus”, afirmou o rapper, comparando o caso de "pré-julgamento" ao da pena de morte. "São 30 estados que ainda têm a pena de morte. [Jesus diz] ‘Não matarás’, mas estamos de boa com isso".

Em novembro, o rapper T.I., vencedor do Grammy, contou a um podcast como ele acompanha a filha, Deyjah Harris, ao consultório médico após cada aniversário para "verificar seu hímen".

"Normalmente, no dia seguinte à festa de aniversário dela, enquanto ela verifica seus presentes, eu coloco um bilhete na porta do quarto dela: 'Ginecologista. Amanhã. 9:30'", disse T.I. cujo nome verdadeiro é Clifford Harris, para os apresentadores.

Segundo Harris, essas consultas começaram após o 16º aniversário de Deyjah, e sua filha deve assinar uma declaração permitindo ao médico compartilhar os "resultados" com ele.

Os usuários rapidamente condenaram o comportamento de Harris e expressaram preocupação por Deyjah. "É extremamente abusivo monitorar o hímen de sua filha, e qualquer médico envolvido em tal ato deve perder sua licença", postou no Twitter a escritora Ijeoma Oluo.

A presença de um hímen intacto –que pode ser facilmente rompido sem atividade sexual– não é considerada uma maneira eficaz de provar a virgindade.

Com informações da AFP

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem