Celebridades

Além de TV, web e teatro, Marcos Veras encontra tempo para o cinema em 'Vestido pra Casar'

Marcos Veras não para. O humorista com trabalho simultâneos na TV, no teatro e na internet encontrou um tempo para também participar de um filme, a comédia "Vestido pra Casar", que estreia quinta-feira (7).

Na trama, protagonizada por Leandro Hassum, Veras interpreta o segurança cafajeste Ceição, que tem um caso amoroso com a ex-BBB Valentina (Renata Dominguez), mulher do senador para o qual trabalha.

Além do filme, Veras pode ser visto pelas manhãs, no palco de "Encontro com Fátima Bernardes", atração da Globo, ou à noite, com seu stand-up comedy "Falando a Veras", em cartaz no Rio. E ainda se aventura na internet como integrante do "Porta dos Fundos", um dos programas de humor mais acessados da rede.

Humoristas comparecem a pré-estreia de 'Vestido pra Casar', nova comédia de Leandro Hassum

Em entrevista ao "F5", o ator de 34 anos falou sobre a parceria com Hassum, o humor em diferentes mídias e como faz para dar conta de tudo ao mesmo tempo.

"Sou workaholic e superdisciplinado. Acho que essa disciplina é o que me faz desenvolver todos esses trabalhos sem dar furo", avalia.

O convite para fazer o filme foi feito por Leandro Hassum há um ano e meio, mas o ator acabou fazendo outras coisas enquanto "Vestido pra Casar" não saía do papel, como a comédia "Copa de Elite". "Minha parceria com o Hassum começou muito timidamente no 'Zorra Total'. E, agora, retomamos no cinema", comemora.


TIPOS DE HUMOR

Apesar de não tirar o pé da comédia, Veras comenta que cada mídia em que atua tem um tipo de humor, que pode transitar entre piadas brandas e "familiares" até as nonsense. "O humor da televisão é um humor responsável. É feito para crianças de 8 anos e senhoras de 80. Qualquer mudança na fórmula tem de ser feita em doses homeopáticas. Ao contrário do que acontece na internet, na qual você pode fazer o que quiser."

O comediante, que despontou no programa "Zorra Total", do qual ainda faz parte, criticou a forma como o humor está sendo tratado nos canais abertos, mas não descartou uma retomada, mesmo que lenta da comédia na TV.

"O humor da TV está estagnado e ainda pode ficar assim por muito tempo. Houve um espaço de tempo muito grande entre 'TV Pirata', 'Casseta & Planeta' e o início do 'Zorra [Total]'. Então vieram o 'Pânico' e o 'CQC' e, depois, nada mais surgiu na televisão", diz. Porém, o comediante acredita que o "Tá No Ar", de Marcelo Adnet, na Globo, inicie uma nova fase. "É um programa ousado. Que sacaneia a própria Globo. Isso já é um avanço".

Na prática, a diversidade dá a Veras a oportunidade de testar diferentes enfoques. "Gosto de experimentar trabalhos diferentes, por isso não tenho um tipo de humor preferido. Posso fazer uma coisa completamente absurda no 'Porta dos Fundos' e na Fátima algo mais light", explica.

Ah, e como ainda sobrou um tempinho, Veras estará em breve em uma novela. O ator foi escalado para "Babilônia", próximo folhetim das 21h. Haja fôlego.

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem