Celebridades

Jennifer Lopez comemora 45 anos com boa forma e vendas em baixa

Com um corpo invejável, a atriz e cantora pop Jennifer Lopez comemora nesta quinta-feira (24) 45 anos, 21 deles dedicados à carreira artística, na qual acumula dezenas de prêmios em oito discos lançados, além de uma carreira com dezenas de filmes em Hollywood.

Seu prestígio foi suficiente para fazer a Sony convocá-la para cantar a música da abertura da Copa, ao lado de Pitbull e Claudia Leitte. Mas a faixa "We Are One" decepcionou, assim como a atitude da popstar. Antes de vir ao Brasil para se apresentar na cerimônia em São Paulo, J.Lo chegou a dizer que não viria por "problemas de produção". Voltou atrás na última hora.

Durante o Mundial, seu oitavo álbum, "A.K.A.", foi lançado, mas registrou vendas abaixo do esperado. Ocupa atualmente a modesta (para J.Lo) 130ª posição entre os 200 mais vendidos dos EUA, de acordo com a "Billboard".

Na vida pessoal, a popstar também passa por momento conturbado. Neste ano, Jennifer se divorciou oficialmente do cantor Marc Anthony, de quem já estava separada desde 2011. Juntos, tiveram um casal de gêmeos. Pouco antes da Copa, rompeu o relacionamento com o bailarino Casper Smart. Rumores dizem que o namoro terminou por um escândalo envolvendo o bailarino e uma transexual.


Carreira

Sua primeira aparição na TV foi em 1993, como dançarina no programa "In Living Color", série norte-americana que lançou também nomes como Jim Carrey e Chris Rock. No final da década de 1990 que sua carreira artística como atriz e cantora deslanchou.

Apesar de ser norte-americana, sua descendência porto-riquenha foi um diferencial para consolidá-la como artista "latina". Em 1997, foi elogiada pela sua interpretação em "Selena", longa que contava a história de outra jovem estrela latina que teve um fim trágico. No filme, Jennifer interpreta uma cantora mexicana famosa que foi morta no auge da carreira.

Nos anos seguintes, J.Lo participou de filmes díspares, como a aventura B "Anaconda" e o cult "Irresistível Paixão", com George Clooney, Depois, migrou para comédias românticas bem-sucedidas, como "O Casamento dos meus Sonhos" (2001), com Matthew McConaughey, "Encontro de Amor" (2002), com Ralph Fiennes, e "Plano B" (2010), com Alex O'Loughlin.

Com a carreira bem encaminhada no cinema, J.Lo se dedicou a música. Seu primeiro disco, "On the 6", de 1999, atingiu a marca de 2,8 milhões de cópias vendidas. "J.Lo", seu segundo álbum, foi melhor ainda, com 3,8 milhões de cópias vendidas só no mercado norte-americano.

Seus últimos lançamentos, porém, mostram um forte declínio nas vendas. "Brave" (2007) e "Love?" (2011) ficaram longe da marca de 500 mil unidades vendidas. "A.K.A." (2014) parece caminhar para o mesmo destino.

Mas seu carisma foi suficiente para lhe garantir um cachê milionário para integrar a banca de jurados da temporada deste ano do programa de talentos "American Idol". J.Lo não perdeu o gingado.

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem