Celebridades

Pai de Heath Ledger mostra diário do ator com anotações para interpretar Coringa

O pai de Heath Ledger revelou anotações pessoais do filho, morto em 2008 aos 28 anos, para um documentário alemão chamado "Jovem Demais Para Morrer".

O derradeiro e mais elogiado papel de Heath nos cinemas foi o Coringa, do filme "Batman - O Cavaleiro das Trevas", pelo qual levou Oscar póstumo de melhor ator coadjuvante.

Em um teaser publicado no Youtube na última quinta-feira (30), Kim Ledger mostra o diário de preparação do filho para o papel.

No caderno, fica clara a dedicação intensa de Heath. Recortes de quadrinhos, fotografias de palhaços, cartas de baralho, anotações e desenhos mostram um pouco do que se passava na sua mente enquanto se preparava para o filme.

Embora a causa de morte do ator tenha sido overdose acidental, o diário mostra como o Coringa mexeu com suas emoções.


Uma das inspirações de Heath para compor o Coringa foi o sádico personagem de Malcolm McDowell em "Laranja Mecânica". Até mesmo hienas serviram de inspiração para criar a risada do inimigo do Batman.

"Ele se trancou em um quarto de hotel por semanas e mergulhou no personagem. Isso era típico de Heath", lembrou o pai. "Mas dessa vez ele foi longe demais. Ele ficou completamente imerso no personagem, no nível mais profundo".

No final do caderno, há uma anotação impressionante de Heath em uma foto de si mesmo caracterizado como Coringa pela primeira vez, para um teste de figurino, cerca de oito meses antes das gravações. "Bye, bye", ele escreveu, ocupando toda a página.

O ator deixou a filha Matilda, fruto do relacionamento com a atriz Michelle Williams. Seis meses após sua morte, "Batman - O Cavaleiro das Trevas" estreou nos cinemas.

Pouco antes de morrer, Heath deu uma entrevista para a "Empire Magazine" falando sobre a preparação para o papel.

"Tive um pouco de medo desse papel. Fiquei em um hotel em Londres por cerca de um mês, escrevi um diário e fiquei experimentando vozes e risadas. Era importante achar uma voz icônica. E acabei entrando na esfera de um psicopata: alguém com muito pouca consciência a respeito dos seus próprios atos".

"Ele é um palhaço assassino, sociopata e totalmente sangue-frio, e Chris (Nolan, o diretor), me deu passe livre. O que foi divertido, porque não tinha limites para o que o Coringa poderia dizer ou fazer. Nada o intimida e tudo é uma grande piada".

Crédito: Stephen Vaughan/Associated Press/Warner Bros. Pictures Heath Ledger na pele do vilão Coringa
Heath Ledger na pele do vilão Coringa

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias