Publicidade

celebridades

De mais influente a processado: o ano polêmico de Rafinha Bastos

01/01/2012 - 11h11

Publicidade

DE SÃO PAULO

Desde que começou a apresentar espetáculos stand up em São Paulo em 2004 e entrou para a bancada do "CQC" em 2008, o humorista Rafinha Bastos, 34, não teve um ano tão movimentado profissionalmente quanto 2011. Em pouco mais de seis meses, passou do auge da popularidade a uma crise que mudou os rumos da sua carreira.

Em março de 2011, Rafinha lançou o DVD com o show responsável por boa parte do seu sucesso como comediante, "A Arte do Insulto", apresentação que rodou o Brasil por mais de quatro anos.

Dias depois, o reconhecimento que talvez nem ele mesmo esperasse. Rafinha foi eleito a personalidade mais influente do Twitter por uma pesquisa feita pelo jornal americano "New York Times". O levantamento de seguidores, retweets e menções no microblog deixou o comediante à frente de personalidades como Lady Gaga e Barack Obama.

Rubens Cavallari - 08.ago.2011/Folhapress
Rafinha Bastos teve 2011 de altos e baixos
Rafinha Bastos teve 2011 de altos e baixos

E a pesquisa acabou levando Rafinha a ser entrevistado por outra importante publicação americana, a revista "Wired", especializada em cultura digital. Ele contou na reportagem quanto vale ter o twitter mais influente: até US$ 4 mil por mensagem postada na época.

Mas a maior exposição acabou amplificando as frases polêmicas que o apresentador do "CQC" sempre costumou proferir.

Rafinha foi capa da edição de maio da revista "Rolling Stone" e a reprodução de um trecho de seu show continha a seguinte frase: "Toda mulher que eu vejo na rua reclamando que foi estuprada é feia pra caralho".

A declaração acabou se tornando alvo de investigação do Ministério Público e sofrendo diversas críticas de órgãos ligados à defesa da igualdade de gênero.

"É um absurdo achar que a minha opinião pessoal é que eu quero que as mulheres sejam estupradas. Quando as pessoas souberem que não é isso, vão entender. Acho uma discussão importante e válida. Mas todos tem que entender que eu sou comediante", disse em agosto, ao depor em uma delegacia.

Também em maio, no Twitter, outra piada causou repercussão negativa. "Ae órfãos! Dia triste hoje, hein?", escreveu Bastos no microblog.

Gabo Morales/Folhapress
Rafinha deu declarações polêmicas durante o ano
Rafinha deu declarações polêmicas durante o ano

Diversos usuários responderam negativamente, afirmando se sentirem ofendidos com a brincadeira. "Você às vezes não tem noção mesmo, né?! Frase péssima e indelicada sobre os órfãos no dias das mães... Pensa antes de escrever", aconselhou um seguidor.

Mas os problemas de Rafinha ainda estavam longe de se resolverem, porque os alvos das brincadeiras começaram a se ofender com as piadas.

O apresentador do "CQC" pediu desculpas à colega Daniela Albuquerque, do "Manhã Maior", da Rede TV!. Após o quadro Top Five do humorístico mostrar a mulher do dono da Rede TV! Tentando diversas vezes pronunciar a palavra "octógono", Rafinha comentou: "Se fosse eu já dava uma cotovelada: 'É octógono, cadela!' Põe esse nariz no lugar'".

Na semana seguinte, ele teve de se desculpar. "Queria pedir desculpas a Daniela Albuquerque pelas brincadeiras da semana passada", comentou na edição de 29 de agosto do CQC.

Caso Wanessa

Mas parece que nem mesmo o pedido público de desculpa fez Rafinha aprender que não poderia brincar com todo mundo. Três semanas depois o alvo das piadas foi a cantora Wanessa, grávida de cinco meses na época.

"Eu comeria ela e o bebê", disse Rafinha após uma matéria em que a cantora aparecia grávida.

A declaração tomou proporções inimagináveis a ponto de mudar totalmente os rumos da carreira do humorista.

A primeira ação partiu do ex-jogador Ronaldo, até então amigo do "CQC" a ponto de frequentar a bancada do programa, considerou a declaração ofensiva e chegou a reclamar com a direção da Band. Ronaldo é sócio de Marcus Buaiz, marido de Wanessa.

Temendo que a piada pudesse afetar a sua imagem, Marco Luque, colega de bancada do "CQC" divulgou uma nota afirmando que considerou o comentário "idiota". Luque, contudo, não conseguiu evitar que fosse trocado por Marcelo Adnet nas propagandas que fazia com Ronaldo para uma operadora de telefonia móvel. Além disso, a postura de Luque não foi bem vista por alguns colegas.

Reprodução/Twitpic.com/@rafinhabastos
Após afastamento, Rafinha "procura" emprego
Após afastamento, Rafinha "procura" emprego

A repercussão negativa acabou pesando na decisão da Band de afastar Rafinha do "CQC" e começar um rodízio na bancada com os outros membros do programa. O medo da emissora veio por conta da ameaça feita por Buaiz de tirar anunciantes do programa.

Mas, se com afastamento de Rafinha, a Band conseguiu evitar um estrago maior, o mesmo não se pode dizer sobre o próprio. Rapidamente, o comediante foi sendo desconvidado de diversos eventos e palestras, quando chegava a ganhar até R$20 mil duas horas de trabalho.

Insatisfeito com o tratamento dado pela Band ao caso, Rafinha chegou a pedir demissão, fazendo que a emissora se mobilizasse para segurá-lo. A argentina Cuatro Cabezas, produtora dona do formato do "CQC" e parceira da Band em outros programas, também queria manter o comediante no seu time.

À época, um diretor da Band afirmou para a Folha: "Não queremos perder um talento como ele, faremos de tudo para essa situação ter um final feliz".

Aos poucos a "vítima" da piada também começou a reagir. Wanessa entrou com pedido de indenização de por danos morais, num processo em que mãe e filho são citados como autores. Em seguida, a cantora publicou nota em seu site onde afirmou que estava defendendo a honra de seu filho.

"A gota d'água, para mim, foi assistir a um vídeo produzido e postado pelo humorista onde ele, em uma churrascaria, ironiza toda essa história", diz no texto, intitulado "A Minha Verdade".

Mas todo esse turbilhão parece próximo de um desfecho, com grandes chances de proporcionar uma mudança de rumos na carreira de Rafinha. Após ser substituído por Lobão em "A Liga", o outro programa que participava na Band, o humorista já começa a pensar em outras possibilidades.

Em entrevista para a revista americana "Variety" cogitou a possibilidade de tentar fazer carreira nos EUA. Mas o destino dele deve ser outro, o canal a cabo FX, que negocia há quase um mês com Rafinha.

Agora só resta saber se em uma nova casa ele vai evitar as polêmicas ou tentar criar novas.

  • Últimas notícias 
  •  

gostou? leia também

  •  

Publicidade

Siga agora o F5 no Twitter

Livraria da Folha