Bichos

Camundongos se aproveitaram do homem sedentário para conquistar o mundo, diz estudo

Roedores se expandiram após sedentarização das primeiras populações

Camundongos nascidos saudáveis de duas mães
Camundongos - Leyun Wang
Paris

O camundongo, uma das espécies de mamífero mais invasivas, aproveitou-se da sedentarização das primeiras populações humanas, há 15 mil anos, para conquistar o planeta, aponta um estudo, que mostra uma concomitância com os primeiros gatos domésticos.

A história da invasão biológica do "Mus musculus", conhecido como camundongo, começou no Oriente Médio, explicou uma equipe internacional formada por membros de oito países à revista "Scientific Reports".

No estudo, foram analisados mais de 800 restos ósseos do pequeno roedor, procedentes de 43 sítios arqueológicos do Oriente Médio e sudeste da Europa, do Irã à Grécia, de entre 40 mil e 3.000 anos de antiguidade. A partir deles, foram feitas análises morfométricas, genéticas e de datação por radiocarbono.

As análises mostraram a presença do camundongo junto ao homem desde as primeiras ocupações sedentárias humanas, há cerca de 15 mil anos, que criaram um "entorno propício" para esta espécie de roedor, atualmente a mais invasiva, explicou à AFP o zooarqueólogo Thomas Cucchi, que dirigiu o estudo.

O nascimento da agricultura, das plantações e o aumento do tamanho e da densidade das aldeias fizeram com que o camundongo pudesse se espalhar rapidamente, da Cisjordânia à Anatólia", há cerca de 12 mil anos, apontou o pesquisador, que trabalha no Museu de História Natural de Paris.

"Nossos resultados mostram que o sedentarismo permitiu o comensalismo", comentou Cucchi. "O camundongo encontrou no meio dos primeiros habitats sedentários humanos muitas vantagens em relação ao seu entorno natural, como um aporte constante de alimentos e uma proteção contra os predadores", declarou o pesquisador, cujos trabalhos buscam "entender como o homem moldou a biodiversidade animal".

Mas o camundongo não se tornou uma espécie invasora até o auge da agricultura. Estes pequenos mamíferos acompanharam o homem até a ilha de Chipre como "clandestinos" em embarcações, há 10 mil anos. Passaram-se mais 5.000 anos até que a espécie invadisse a Europa.

Sua expansão pelo continente europeu coincide com o surgimento dos gatos domésticos, segundo restos encontrados em antigos sítios habitados localizados em Chipre, Grécia e Leste Europeu. Foi esta expansão que teria incentivado a domesticação dos gatos, cuja origem não é conhecida com exatidão.

"O ancestral selvagem do gato doméstico teria sido atraído para o nosso entorno pelo camundongo. A partir desse momento, o homem percebeu a importância do predador para proteger suas reservas de cereais", sugeriu Cucchi.

AFP
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem