Bichos

Seis elefantes morrem ao tentar salvar filhote em cachoeira na Tailândia

Para autoridades da Tailândia, tragédia aconteceu quando grupo tentou salvar bebê elefante
Para autoridades da Tailândia, tragédia aconteceu quando grupo tentou salvar bebê elefante - BBC News/Thailand DNP
Descrição de chapéu BBC News Brasil

Seis elefantes morreram na Tailândia ao tentarem salvar um deles em uma famosa cachoeira no país. Autoridades estimam que a tragédia tenha acontecido depois que um bebê elefante escorregou na queda d'água no Parque Nacional Khao Yai.

Outros dois elefantes achados em um penhasco nas redondezas do acidente, foram resgatados pelas autoridades com ajuda de cordas. A cachoeira, conhecida como Haew Narok (Queda do Inferno, em tradução livre), tem um histórico de tragédias do tipo.

Uma manada de oito elefantes morreu após cair ali em 1992, num caso de grande repercussão no país. O Departamento de Parques Nacionais, Vida Selvagem e Conservação Vegetal da Tailândia afirmou que autoridades foram chamadas ao local no sábado às 3h (horário local), quando um grupo de elefantes estava bloqueando uma estrada perto da cachoeira.

 

Três horas depois, o corpo de um elefante de três anos foi avistado próximo do pé da cachoeira Haew Narok. Logo em seguida outros cinco animais foram encontrados mortos nas proximidades. Khanchit Srinoppawan, chefe do parque nacional, afirmou à BBC que os dois elefantes resgatados no local estavam sob monitoramento.

 

Edwin Wiek, criador da Fundação Amigos da Vida Selvagem da Tailândia, afirmou que esses dois animais devem ter dificuldade de sobreviver já que elefantes se agrupam em grandes manadas para obter proteção e encontrar alimentos.

O incidente também pode ter um custo emocional aos dois sobreviventes. Sabe-se que os elefantes mostram sinais de pesar. "É como perder metade de sua família", afirmou Wiek à BBC. "Não havia nada a ser feito. É a natureza, infelizmente."

Cerca de 7.000 elefantes-asiáticos vivem na Tailândia, mais da metade em cativeiro.

BBC News Brasil
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem