Bichos

Marca de ração vende baratas e grilos vivos para estimular pets silvestres a caçar

Por R$ 25, você pode adquirir dez baratas vivas. Por R$ 30, uma embalagem com cinquenta larvas.

Esses são os produtos da empresa Safari, que comercializa alimentos vivos para animais de estimação silvestres.

A ideia é proporcionar aos pets a oportunidade de caçar bichos vivos e desenvolver seu instinto natural.

Animais de estimação como cobras, iguanas e pássaros exóticos são os "clientes" do serviço, que vende os alimentos vivos em petshops. Eles podem ser consumidos em até 30 dias.

Empresa comercializa larvas e baratas vivas para alimentação de pets silvestres
Empresa comercializa larvas e baratas vivas para alimentação de pets silvestres - Divulgação/Safari

Proteína

“Os insetos têm alto teor de proteína, ácidos graxos e minerais de alta digestibilidade. Além disso, fornecer alimento vivo aos animais estimula o contato com a natureza e diverte o bicho”, diz o proprietário Eduardo Matos.

Os insetos são criados em uma fazenda em Piracicaba, no interior paulista, com aprovação de órgão do Ministério da Agricultura, e livres de contaminações.

“A alimentação dos insetos é preparada com farelo de trigo, milho, cevada e vegetais como legumes e folhas, de onde eles também retiram a água que necessitam. Os excrementos são retirados semanalmente de um reservatório no fundo de cada baia, onde caem por gravidade, mantendo o ambiente sempre limpo. Os insetos criados em cativeiro ficam guardados em ambiente controlado, a fim de evitar contaminação ou contato com espécimes de fora. São todos bem limpinhos”, explica Matos.

O “cardápio” oferecido pela Safari é composto por: grilo preto (Gryllusassimillis), tenébrio gigante Zophobas morio), tenébrio comum (Tenebrio molitor), barata cinérea (Nauphoeta cinérea) e barata blaberus (Blaberus giganteus). Em breve, a espécie barata madagascar (Gromphadorhina portentosa) também fará parte da produção.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias