Televisão

'Fico pensando que são meus filhos', diz Ivete Sangalo sobre cantores do 'The Voice Kids'

Nos tempos de jurada da primeira temporada do "Superstar" (Globo), Ivete Sangalo ficou conhecida nas redes sociais como a jurada boazinha da competição entre bandas.

Agora, no "The Voice Kids" (Globo), que estreia neste domingo (3), a cantora diz que não vai virar a técnica malvada com as crianças, mas será criteriosa na escolha de talentos com potencial de chegar à final.

"No 'Superstar' eu chegava achando tudo maravilhoso, eu queria virar a cadeira para todo o mundo, mas não tinham times. A gente não era técnico, só fazia uma seleção para que o público em casa pudesse votar", lembra a cantora.

Quarteto de técnicos durante coletiva realizada no Projac (Foto: Isabella Pinheiro / Gshow) técnicos do The Voice Kids. Durante a coletiva para a imprensa, Carlinhos Brown, Ivete Sangalo , e Victor & Leo responderam às curiosidades dos fãs sobre a experiência, e a responsabilidade de trabalhar com crianças e jovens.
Carlinhos Brown, Ivete Sangalo e a dupla Victor e Léo, técnicos do 'The Voice Kids' - Crédito: Isabella Pinheiro /Gshow

"Aqui, você tem direito a ter 24 crianças no seu time. Caminhamos com a responsabilidade de levar à final crianças que realmente tenham potencial para se tornar artistas. O mérito não é ser bonzinho, mas ajudar a criança a compreender o caminho até a final."

Ivete diz que o que mais intriga os jurados enquanto estão de costas para o palco é a expressão das crianças ao se apresentarem e, nessas horas, seu lado maternal aflora.

"Fecho os olhos e tento me dissociar dessa sensação, mas fico pensando que é meu filho que tá cantando ali", afirma. "Penso no que a mãe ou o pai estão sentindo, o que o povo brasileiro está sentindo. Ainda assim, estou no papel de técnica, tenho que cumprir minha missão."

Outro cuidado que os jurados do reality show procuram considerar em suas avaliações é com as diferenças de timbre entre crianças e adultos, de modo a julgar os cantores mirins sem comparações com as versões originais das canções.

"Criança é criança. Fisiologicamente, eles ainda estão em formação. Muita coisa ainda vai acontecer estruturalmente, o que faz com que eles tenham uma diferença física em relação aos adultos. Estão em fase de crescimento, ainda vão sofrer com hormônios. Não são mini-adultos, são crianças cantando", diz a cantora.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias