Estilo

Maquiador de estrelas sai da periferia para a Oscar Freire 

O maquiador e cabelereiro Max Weber, 43, é uma criatura urbana, que vive entre modelos, atrizes e VIPs. 

Dono de um talento natural para notar qual corte de cabelo fica melhor para cada tipo de rosto, e de um instinto para criar make-ups estonteantes, ele cobra até R$ 10 mil para produzir uma noiva no dia do casamento. 

Ele já produziu modelos para edições nacionais e internacionais das principais revistas de moda. "Nem sempre foi assim", conta. 


Nascido em Uiraúna, cidade paraibana de 15 mil habitantes, se mudou com dois anos para a periferia de São Paulo, na Cohab Jardim Bonifácio, em Itaquera, na zona leste. "Meu nome é uma homenagem ao economista alemão considerado um dos pais da sociologia. Minha mãe que escolheu", diz o maquiador. 

Max se interessou por maquiagem e cabelo aos 10 anos, quando viu pela primeira vez as revistas "Vogue" e "Cosmopolitan", trazida pelo marido da melhor amiga de sua mãe. "Eu não conseguia parar de olhar aquelas fotos incríveis, aquelas mulheres com os cabelos maravilhosos. Eu já sabia ali o que eu queria fazer. Mas a minha realidade era outra", diz.

Na época, começou a trabalhar acompanhando o pai, entregador de jornais. Com 14, foi trabalhar como office-boy na Serasa. 

Mas se descobriu gay aos 15 anos, quando conheceu um amigo que se vestia como a cantora Tina Turner. "Aps 17, comprei minhas primeiras maquiagens e me vesti de drag. Minha grande inspiração é a cantora Grace Jones."

Com 21 anos, Max fez um curso de cabeleireiro. "Logo comecei a atender em casa. Até os 23 anos só cortava o cabelo do pessoal do bairro", afirma. "Eu comecei a notar a estrutura óssea, e como realçar as melhores características no corte de cabelo." 

As primeiras produções para fotos vieram aos 30 anos. "Quando eu fiz a capa da 'Vogue Brasil', tudo mudou. De repente todo mundo começou a querer meu trabalho. Maquiei grandes modelos nacionais e internacionais, como Gisele Bündchen, Renata Kuerten e Kate Moss, atrizes como Natália Dill e blogueiras como Camila Coutinho. E aqui estou", conta Max. 

Hoje o maquiador mora em um apartamento grande na rua Oscar Freire, um dos endereços de maior prestígio em São Paulo. "Mas a Cohab ainda está dentro de mim", garante Max, que nunca perdeu o contato com os familiares, que ainda moram em Itaquera. 






Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem